Análise da PEC do voto impresso pode ficar para agosto

Matéria foi retirada da pauta na última semana por falta de acordo acerca do tema

Larissa Rodrigues, da CNN, em Brasília
11 de julho de 2021 às 16:24
Deputado Filipe Barros (PSL-PR)
Foto: Reprodução/Instagram/@filipebarrosoficial

A análise da PEC do voto impresso na comissão especial pode ficar para o segundo semestre deste ano.

A expectativa era que o relatório do deputado Filipe Barros (PSL-PR) sobre a proposta fosse votado na próxima quinta-feira (15), isso após a matéria ser retirada de pauta na última semana, por falta de acordo e ofensiva de lideranças contra o tema.

No entanto, o relator assumiu à CNN neste domingo (11), pela primeira vez, seguir sem acordo para a apreciação da matéria e que a votação pode ficar mesmo para agosto.

"Só vamos levar à votação o projeto quando estiver pacificado o texto com os partidos", disse Barros. 

Ainda de acordo com fontes ouvidas pela CNN, o relator prometeu às legendas apresentar mudanças no texto e já admite acatar o voto impresso apenas em parte das urnas eletrônicas. 

A proposta, que visa à adoção do voto impresso a partir de 2022, é defendida pelo presidente Jair Bolsonaro e precisa ser aprovada na Câmara e no Senado até outubro para entrar em vigor já no ano que vem.