Partidos e ministros do STF reforçam coro contra voto impresso para Lira

Ao menos seis partidos estão fechados contra a mudança na maneira de votação

Da CNN, em São Paulo
08 de julho de 2021 às 17:22

 

Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) reforçaram para o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), que não acham correta a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do voto impresso. As informações são da âncora da CNN Daniela Lima.

As justificativas dos integrantes da Corte são que o sistema eleitoral com urnas eletrônicas nunca foi alvo qualquer fraude comprovada. Além disso, eles também destacam o próprio cenário político atual, em que o principal defensor da mudança é o presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido).

Dos 11 partidos que chegaram a um acordo para tentar derrubar a proposta, ao menos seis estão fechados contra a mudança. Algumas dessas siglas são MDB, DEM, PSDB e PSD e PV.

Câmara dos Deputados

O deputado federal Aécio Aécio Neves (PSDB-MG) chegou a propor uma instalação gradual de impressoras em um percentual das urnas, mas a sugestão foi extremamente rejeitada. Com isso, ele afirmou que conversou com o relator da PEC, o deputado Filipe Barros (PSL-PR), e chegou à conclusão que não há como a votação acontecer neste ano.

Já Arthur Lira se comprometeu a agir como árbitro na questão e ressaltou que não vai articular para nenhum dos lados.

Cerimônia de posse do presidente Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF)
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

(Publicado por Marina Motomura)