'CPI está virando um espetáculo horrendo de ameaças', diz Eduardo Girão

O senador titular da comissão também disse à CNN que não vê problemas do adiamento do depoimento do reverendo Amilton Gomes de Paula

Produzido por Juliana Alves, da CNN, em São Paulo
12 de julho de 2021 às 18:35

Em entrevista à CNN, o senador Eduardo Girão (Podemos-CE), titular da CPI da Pandemia, afirmou que a comissão está se tornando "um espetáculo horrendo de ameaças". Segundo ele, há a tentativa de humilhação de alguns depoentes.

"Tudo que não precisamos nessa CPI, já que os ânimos estão, infelizmente, muito acalorados, é de embate", disse Girão. 

Na 11ª semana de trabalho, a oitiva marcada para esta terça-feira (13) é a da diretora técnica da Precisa Medicamentos, Emanuela Medrades. O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu habeas corpus para que ela possa ficar em silêncio na comissão.

Além disso, na quarta-feira (14) o reverendo Amilton Gomes de Paula pode comparecer ao Senado. De acordo com informações da analista de política da CNN Renata Agostini, o presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), convocou Gomes para uma perícia médica presencial nesta terça, após ele alegar que estava com uma crise renal. 

"Acredito que a oitiva do reverendo poderia ser remarcada para um ou dois dias depois e nós ouvíssemos aqui, por exemplo, o ministro-chefe da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, que quer vir", afirmou Girão.

Em março deste ano, Amilton Gomes de Paula recebeu aval do Ministério da Saúde para comprar 400 milhões de doses da vacina da AstraZeneca em nome do governo brasileiro.

O senador Eduardo Girão (Podemos-CE) conversou com a CNN sobre a CPI da Pandemia (12.jul.2021)
Foto: Reprodução / CNN