Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Abraham Weintraub recebe título de persona non grata em Brasília

    O título se deve às críticas feitas à capital do país durante sua gestão, que vieram a público no vídeo da reunião ministerial de 22 de abril

    Tainá Farfan e Beatriz Gurgel

    Da CNN, em Brasília

    Ouvir notícia

    A Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou, na quarta-feira (12), o título de persona non grata ao ex-ministro da Educação Abraham Weintraub. O título inédito foi devido às críticas à capital do país durante sua gestão, que vieram a público no vídeo da reunião ministerial de 22 de abril, divulgado por determinação do ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal.

    O deputado Chico Vigilante (PT), autor da moção, aprovada por unanimidade pela Câmara Legislativa, disse que ficou “indignado com o ataque que o ex-ministro fez a Brasília”. 

    “Esse povo não merece um ataque covarde como esse. O que me deixou mais espantado é um ministro da Educação ter dito aquilo, em um ato solene, como é uma reunião ministerial. Se ele não fosse tão covarde, deveria ter ido embora da cidade antes. A cidade o acolheu muito bem, apesar das atrocidades que ele cometeu aqui, como a vez em que saiu sem máscara na esplanada e distribuiu Covid-19 por aí. Ficou muito claro o ódio que ele tem por Brasília”, afirmou o deputado distrital.

    Leia também:

    Weintraub sugere mandar prender ministros do STF em vídeo de reunião ministerial

    Leia a íntegra da transcrição da reunião ministerial com Bolsonaro

    O ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub
    O ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub
    Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil (16.ago.2019)

    Na reunião interministerial do dia 22 de abril, Weintraub chamou Brasília de “porcaria”. 

    “Eu não quero ser escravo nesse país. E acabar com essa porcaria que é Brasília. Isso daqui é um cancro de corrupção, de privilégio. Eu tinha uma visão extremamente negativa de Brasília. Brasília é muito pior do que eu podia imaginar. As pessoas aqui perdem a percepção, a empatia, a relação com o povo. Se sentem inexpugnáveis”, disse o ex-ministro.

    Weintraub deixou o Ministério da Educação e assumiu o cargo de diretor-executivo do Banco Mundial. Até o momento, ele não se manifestou sobre o título recebido. 

    Repercussão no Congresso

    Parlamentares do Distrito Federal se posicionaram sobre o título inédito. 

    A deputada Flávia Arruda (PL-DF) ressaltou que Weintraub “fez por merecer”.

    A deputada Érika Kokay (PT-DF) afirmou que a Câmara Legislativa representou Brasília e os brasileiros ao responder aos ataques de Weintraub.

    “Vou encaminhar um ofício parabenizando a Câmara Legislativa, porque defendeu e representou o povo de Brasília, com sua honestidade e capacidade de transformar o barro vermelho em um projeto de desenvolvimento nacional. A ação da Câmara Legislativa é um ineditismo oportuno e necessário, que representa o sentimento do povo brasileiro”, destacou. 

    O deputado Luis Miranda (DEM-DF) também se manifestou. “Enfim alguém deu uma resposta às agressões do ex-ministro à nossa sonhada, exemplo e linda capital. Foi um desrespeito total aos 3 milhões de moradores da nossa amada Brasília, capital do Brasil. E esse senhor ainda se diz patriota… Ele não é um patriota”.

    Mais Recentes da CNN