Acabar totalmente com a desinformação é muito difícil nesse momento, diz especialista

Advogada e diretora do InternetLab, Heloísa Massaro, falou à CNN sobre os desafios em coibir a prática da disseminação de notícias falsas

Anna Gabriela Costada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

Em entrevista à CNN, nesta terça-feira (22), a advogada e diretora do InternetLab, Heloísa Massaro, falou que é difícil acabar com a desinformação no Brasil, devido à “complexidade deste fenômeno”.

“Quando a gente pensa em controle de desinformação, nenhuma solução sera suficiente. Isso precisará ser endereçado por vários aspectos e várias perspectivas… Acabar totalmente com a desinformação é algo muito difícil nesse momento, dada a complexidade desse fenômeno”, disse a advogada.

YouTube anunciou nesta terça-feira (22) que irá remover vídeos que contenham falsas alegações de fraudes, erros, ou problemas técnicos nas urnas eletrônicas e nas eleições de 2018. Os vídeos que já estão publicados também serão removidos, de acordo com a plataforma.

Em entrevista ao âncora William Waack e à analista da CNN Raquel Landim, a especialista disse que desde 2018 as autoridades e as plataformas estão se empenhando mais em coibir a prática da disseminação de notícias falsas.

“Podemos dizer que, pelo menos desde 2018, temos visto mais esforços tanto do Tribunal Superior Eleitoral quanto das plataformas no combate à desinformação, bem como agências de checagens”, disse.

A especialista acrescenta que o tema da desinformação é “muito complexo”, considerando que a desinformação acompanha o cenário político, econômico e social que o país vive.

“É difícil falar se o cenário está mudando ou não, e como estaria mudando, porque a desinformação é algo que tem muito a ver com o novo ambiente de comunicação politico que gente tem. Com a entrada das plataformas tem uma descentralização, todo mundo consegue produzir conteúdo, e também tem a ver com o processo sócio político-econômico que vem de muito tempo”, afirma.

Mais Recentes da CNN