Governo agride seus próprios ministros, diz Doria

O oncologista Nelson Teich pediu demissão do Ministério da Saúde nesta sexta-feira após permanecer 29 dias no cargo

Ouvir notícia

O governador do estado de São Paulo, João Doria (PSDB), criticou a gestão do presidente Jair Bolsonaro, e fez menção ao ministro da Saúde, Nelson Teich, que pediu demissão nesta sexta-feira (15). A declaração foi feita durante a coletiva de imprensa, no Palácio dos Bandeirantes. 

“O Brasil acorda assustado com as crises diárias, por agressões gratuitas, agressões à Democracia, à Constituição, às instituições, agressão ao Congresso Nacional, agressão ao Supremo Tribunal Federal, à imprensa, agressão e xingamentos aos jornalistas, agressão à ministros do seu próprio governo. 
Como o senhor fez e continua a fazer. Fez com Gustavo Bebianno, fez com Santos Cruz, fez com Sergio Moro, fez com Luiz Henrique Mandetta e agora fez também com Nelson Teich.”

Leia e assista também: 

Bolsonaro afirma que vai alterar o protocolo de uso da cloroquina

Análise: Nelson Teich deixa cargo por pressões sobre uso da cloroquina

Bolsonaro promete reduzir tributos e pede que empresários lutem contra Doria

“Presidente Bolsonaro, governe, administre o seu país com equilíbrio. Pare com agressões, pare com os conflitos, para de pôr o país em um caldeirão interminável de brigas e atritos. O pais, para vencer a pandemia, precisa estar unido”, declarou Doria.

O ministro Nelson Teich pediu demissão nesta após permanecer 29 dias no cargo. “É o dia mais triste da minha vida. Não vou manchar a minha história por causa do cloroquina”, declarou o médico. 

Teich se reuniu na manhã desta sexta-feira (15) com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O encontro, que não constava na agenda oficial de Bolsonaro, durou cerca de 15 minutos. Pela manhã, o presidente afirmou que mudaria, ainda nesta sexta, o protocolo de uso da cloroquina adotado no sistema de saúde.

 

Mais Recentes da CNN