Alckmin não pretende se envolver em impasse entre PSB e PT

O Partido Socialista Brasileiro, favorito para a filiação de Alckmin, estaria pressionando a sigla do ex-presidente Lula por apoio em sete estados

Fernanda Pinottida CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) está pressionando o Partido dos Trabalhadores (PT) a apoiar seus candidatos. O PSB, até então, é a legenda mais cotada para abrigar a filiação de Geraldo Alckmin, possível vice na chapa de Lula, mas, de acordo com informações da âncora da CNN Daniela Lima, o ex-governador não deve se envolver na negociação entre as duas siglas.

O PSB estaria pedindo apoio eleitoral do PT em sete estados – São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Acre, Pernambuco e Maranhão – alguns nos quais o Partido dos Trabalhadores já possui pré-candidatos.

Embora o impasse ainda não tenha chegado ao fim, o ex-presidente Lula já declarou que Fernando Haddad deve sair como candidato a governador de São Paulo novamente nas eleições deste ano. O PSB reivindica apoio do partido ao seu pré-candidato para o governo do estado, Márcio França.

Alckmin já havia dado sinais de que não seria utilizado como instrumento de barganha de nenhum partido, e aliados do político confirmam que ele não pretende se envolver nessa questão.

Uma fonte próxima a Lula diz que a chapa com Alckmin já é considerada certa e que a aliança entre os dois políticos, que costumavam ser rivais, já foi digerida pelo PT. O partido ao qual o ex-tucano vai se filiar para poder concorrer seria “o menor dos problemas”, já que outras siglas também poderiam abrigá-lo.

Veja os possíveis candidatos à Presidência da República em 2022

Mais Recentes da CNN