Alexandre Garcia: Habeas corpus enfraquece a posição de Pazuello na CPI

Jornalista avaliou o pedido de habeas corpus feito pela AGU ao STF para que Eduardo Pazuello possa ficar em silêncio ao ser questionado na CPI

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

No quadro Liberdade de Opinião desta sexta-feira (14), Alexandre Garcia avaliou o pedido de habeas corpus feito pela Advocacia-Geral da União ao Supremo Tribunal Federal (STF) para que o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello possa ficar em silêncio ao ser questionado na CPI da Pandemia. O depoimento de Pazuello está marcado para a próxima quinta-feira (19).

“Anteontem avaliaram o rumo do interrogatório sofrido pelo Fabio Wajngarten, que foi algo muito parecido com uma inquisição da Península Ibérica, de ameaças de fogueira. E teve coisa que a gente nem viu, como no intervalo para o lanche que ele [Fabio Wajngarten] recebeu ordens praticamente gritadas. Ele ficou num cubículo esperando que fossem fazer o lanche, como se fosse um prisioneiro e não testemunha”, disse o jornalista.

“Diante disso, a AGU tomou a decisão de entrar no Supremo pedindo garantias para o ex-ministro, entre as quais a de ficar calado. A outra questão é que se alguém já vai para um interrogatório com habeas corpus é sinal de fraqueza, é como negar o bafômetro. Isso enfraquece a posição do general Pazuello ao entrar no dia 19 na CPI.”

O Liberdade de Opinião tem a participação de Sidney Rezende e Alexandre Garcia. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

Alexandre Garcia no quadro Liberdade de Opinião
Alexandre Garcia no quadro Liberdade de Opinião
Foto: CNN Brasil (14.mai.2021)

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.

Mais Recentes da CNN