Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Anielle Franco usa avião da FAB para ato do governo na final da Copa do Brasil e é criticada

    A ministra alega, em publicação nas redes sociais, que foi ao estádio para assinar uma ação do governo federal de combate ao racismo no esporte

    Da CNN*

    em São Paulo

    A ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, viajou de Brasília a São Paulo em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) e acompanhou a final da Copa do Brasil entre São Paulo e Flamengo, no Morumbi, neste domingo (24). Ela é flamenguista.

    De acordo com a ministra, em vídeo divulgado nas redes sociais, a ida ao estádio foi para assinar uma ação do governo federal para combater o racismo no esporte. O uso da aeronave gerou críticas nas redes sociais de parlamentares da oposição.

    “Esse é mais um passo no avanço do trabalho da justiça racial em todos os esportes, que estamos construindo desde fevereiro. Com racismo não tem jogo!”, disse a ministra em uma rede social.

    Também estiveram presentes na ação o ministro Silvio Almeida, de Direitos Humanos e da Cidadania, e André Fufuca, do Esporte, e o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ednaldo Rodrigues. Durante o jogo, houve também divulgação do Disque 100 para violações de Direitos Humanos no telão do estádio.

    Nas redes sociais, parlamentares críticos ao governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) acusaram a ministra de ter usado um avião da FAB para assistir ao jogo de seu time.

    “É só coincidência ela ter ido justo no dia da final sendo ela flamenguista, gente. Ela não pôde ir em momento algum antes disso. E o brasileiro segue pagando as viagens a lazer de Lula e seus ministros”, afirmou o líder da oposição na Câmara dos Deputados, o deputado Carlos Jordy (PL-RJ).

    Caso anterior no governo

    No início do ano, o ministro das Comunicações, Juscelino Filho, usou um avião da FAB para viajar a São Paulo, onde participou de leilões de cavalo, além de receber diárias relativas ao período, no qual cumpriu duas horas de agendas relativas ao cargo no Estado, conforme revelou o jornal “O Estado de S. Paulo” em série de reportagens.

    Em entrevista à CNN, o ministro disse que teve a oportunidade de esclarecer “todas essas acusações infundadas” ao presidente Lula, com quem se reuniu. Ele permaneceu no cargo.

    O uso de avião da FAB é regulamentado por um decreto presidencial e prevê uma ordem de prioridade: primeiro, em casos de emergências médicas; segundo, quando há razões de segurança; por fim, viagens a serviço. As regras em vigor não permitem solicitar o jato para passar o final de semana em casa, por exemplo.

    Em nota, o Ministério da Igualdade Racial alega que o voo foi utilizado para uma “missão institucional”. Já Anielle afirmou, em uma rede social, que é “inacreditável que uma ministra seja questionada por ir fazer o seu trabalho”.

    Leia a íntegra da nota divulgada pela pasta

    “O Ministério da Igualdade Racial esteve, no último domingo (24), na final da Copa do Brasil para a assinatura do protocolo de intenções, em conjunto com o ministério dos Esportes e a Confederação Brasileira de Futebol para o combate ao racismo e a promoção da igualdade racial no futebol.

    Este acordo estava em construção desde fevereiro deste ano e culminou com a ação ocorrida neste domingo. Além disso, em conjunto com o Ministério dos Direitos Humanos e Cidadania, houve a divulgação da campanha “Com racismo não tem jogo” e o canal de denúncias Disque 100 Direitos Humanos.

    A final da Copa do Brasil foi escolhida para a realização da ação de divulgação pelo alto número de pessoas presentes no estádio e pela grande audiência, típica de uma final de campeonato, independente de quais clubes a disputassem.

    O voo da FAB foi utilizado para uma missão institucional, como é praxe em deslocamentos para ações ministeriais e de governo e como uma medida de economia de gastos públicos para locomover as equipes.

    As ações do Ministério da Igualdade Racial são realizadas observando os princípios que basilam a boa administração pública, e em cumprimento da missão institucional do Ministério.

    Matéria com o protocolo: https://www.gov.br/igualdaderacial/pt-br/assuntos/copy2_of_noticias/ministerio-da-igualdade-racial-do-esporte-e-cbf-assinam-protocolo-de-intencoes-contra-o-racismo-no-futebol-na-final-da-copa-do-brasil”

    Publicado por Leonardo Rodrigues, da CNN, com informações do Estadão Conteúdo.

    Veja também: Governo Lula aciona AGU contra deputados Nikolas Ferreira e Filipe Barros