Apelos do PL impedem convocação do governador do Rio na CPI da Pandemia

A CNN apurou que a CPI tinha votos para aprovar a convocação de Cláudio Castro, mas senadores conseguiram barrar

Posse do governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro
Posse do governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro Foto: Thiago Lontra

Bárbara Baião

Da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

 A convocação do governador do Rio, Cláudio Castro, aliado do Palácio do Planalto, na CPI da Pandemia foi adiada após apelos de senadores do PL.

A ficha de filiação do político fluminense à sigla do centrão será assinada nesta quarta-feira, em Brasília.

A CNN apurou que a CPI tinha os votos para aprovar a convocação, mas o líder do partido no Senado, Carlos Portinho, além do senador Jorginho Mello, titular da comissão, fizeram apelos ao presidente da CPI, senador Omar Aziz. O argumento foi o de que Castro não está no centro das investigações relacionadas a desvios na saúde e que levaram ao impeachment do então governador Wilson Witzel.

Segundo relatos feitos à CNN, há uma avaliação no entorno do governador do Rio de que o adiamento foi uma demonstração de força da articulação do governo federal, já que o objetivo da CPI de maioria opositora ao Palácio do Planalto era, na verdade, buscar elementos que pudessem implicar o presidente Jair Bolsonaro – que tem como um dos principais redutos eleitorais o Rio de Janeiro.

Por outro lado, o comando da CPI tem a uma grande expectativa em relação ao depoimento do ex-governador Wilson Witzel. A aposta de senadores é de que o ex-juiz federal, ao ter a carreira política abreviada e romper com a família Bolsonaro, seja um franco atirador na comissão, com potencial para fornecer informações relevantes à CPI contra nomes próximos ao presidente da República.

Mais Recentes da CNN