Após confronto com Maia, Bolsonaro defende ‘harmonia’ entre poderes

Presidente lamentou, entretanto, não poder intervir 'em muita coisa'

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Um dia depois de protagonizar um confronto aberto com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pregou “harmonia entre os poderes” na posse do novo ministro da Saúde, Nelson Teich.

Ele comentava a decisão do Supremo Tribunal Federal que garantiu a autonomia dos governos estaduais e municipais para adotarem medidas de restrição à circulação como forma de prevenir o contágio do novo coronavírus.

Bolsonaro afirmou que o Brasil é uma democracia e que vive em harmonia com outros poderes e, por isso, a decisão do STF deveria ser respeitada. Mas lamentou não poder interferir nas iniciativas locais.

“Pena que e eu não posso intervir em muita coisa e o Supremo decidiu que as medidas restritivas têm que ser decididas pelos prefeitos e governadores. Vamos respeitar”, disse. Bolsonaro também criticou as prisões de pessoas que desrespeitam as medidas de isolamento para prevenir o contágio da COVID-19. 

“Aquelas cenas de prender mulheres em praia, na praça pública… eu não consigo entender isso daí. Não concordo com isso”, afirmou. “Não vou pregar desobediência civil, mas medidas como essas têm que ser rechaçadas por todos nós.”

Na posse do oncologista Nelson Teich, Bolsonaro voltou a defender a reabertura do comércio e cobrou que o novo ministro também leve em consideração as suas opiniões na condução da pasta da Saúde.

Em referência a Luiz Henrique Mandetta, Bolsonaro afirmou que o antecessor tem uma visão “um pouco diferente” da do ex-ministro, que, segundo o presidente, tinha mais foco na preservação da saúde e da vida. “A minha visão tem que ser mais ampla”, afirmou.

Mais Recentes da CNN