Após votação, PSDB prega união para “enfrentar os reais adversários do Brasil”

Prévias do partido para decidir o candidato à Presidência da República foram encerradas às 17h

Douglas Portoda CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

Arthur Virgílio, ex-prefeito de Manaus, Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul, João Doria, governador de São Paulo, e Bruno Araújo, presidente do PSDB, pregaram, neste sábado (27), união e respeito independentemente do resultado das prévias à Presidência da República.

“Dentro do sentido do emprego da defesa do emprego, da oportunidade, da saúde, do meio ambiente, como disse Arthur Virgílio, das reformas, como tem defendido o governador do estado do Rio Grande do Sul, é este o caminho que nós desejamos. E certamente faremos uma grande coalização, uma grande união de todos os partidos que queiram seguir dentro dessa linha”, afirmou Doria.

Segundo Doria, o vencedor das prévias “estará legitimado pelas prévias e ao lado do presidente Bruno Araújo poderá iniciar esse bom entendimento. E nós estaremos juntos, seja quem for o vencedor.”

Leite, por sua vez, afirmou que a discussão das prévias foi natural e aberta ao público, e que as reais diferenças não são internas, mas com “os populistas bons de bico do outro lado que geraram no país uma divisão, que tem gerado prejuízos enormes à população”.

“Passado esse processo das prévias do PSDB, tenho absoluta tranquilidade que saberemos estar junto para fazer o enfrentamento dos reais adversários do Brasil, que são a inflação, o desemprego, a fome, o baixo crescimento econômico”, continuou Leite.

Bruno Araújo minimizou as falhas no processo de prévias do PSDB, após um provável ataque hacker que o partido foi alvo no último domingo (21) que suspendeu a votação, retomada apenas nesse sábado com um novo aplicativo.

“Só corre risco quem inova, só corre risco quem assume pioneirismos. O PSDB assumiu o pioneirismo de ser o primeiro partido do Brasil a estabelecer de forma interna uma democracia que antes de chegar no pleito da eleição não são mais quatro diante da eleição que definem o candidato, são milhares que definem em um processo de discussão democrática”, declarou Araújo.

Foram registradas ao menos 26 mil tentativas externas de acesso à aplicação das prévias. Segundo o levantamento registrado pela legenda, todos os ataques foram realizados fora do Brasil, fazendo com que fosse bloqueado o registro de votos dos filiados que estão no exterior.

Virgílio se deu por derrotado, afirmando que concorreu por um pedido pessoal de Araújo e que o partido precisaria passar por uma “desbolsonarização”, por parlamentares que votam junto com o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e se ele quisesse votos estaria elogiando todos.

“Eu estou muito leve hoje, eu vi Leite, Doria e Arthur Virgílio corre por fora. Eu sempre fui um anticandidato, eu sempre precisei desse palanque para fazer um discurso sobre democracia, sobre Amazônia. Vejam a ligação entre garimpeiros, traficantes e desmatadores profissionais complicando a região mais estratégica do mundo. Eu precisava colocar na cabeça de todos e falei que a Amazônia era um lugar que merecia uma atenção que eu sinto que o Brasil não consegue dar a ela ainda.”

Mais Recentes da CNN