Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Eleições 2022

    Bolsonaro diz que atos pró-democracia foram “micareta do PT”

    Presidente associa signatários de manifesto da USP à defesa de ditaduras e diz que a constituição é a carta da democracia do Brasil

    Danilo Moliternoda CNN

    São Paulo

    O presidente Jair Bolsonaro (PL) escreveu, em suas redes sociais, nesta quinta-feira (11), que ato marcado por leitura da carta pela democracia da USP foi “micareta do PT”.

    “Acredito que a carta pela democracia, que foi lida na micareta do PT, teve algumas de suas páginas rasgadas, principalmente nas partes em que deveriam repudiar o apoio, inclusive financeiro, a ditaduras como Cuba, Nicarágua e Venezuela, bem como o controle da mídia/internet”, disse o presidente.

    Em sua live semanal nesta quinta, Bolsonaro havia dito que Luiz Inácio Lula da Silva (PT), um dos signatários do documento, defende ditaduras e a regulação da mídia.

    O texto de Bolsonaro ainda aponta que “o Brasil já tem sua carta pela democracia: a Constituição”.

    “Essa é a única carta que importa na garantia do estado democrático de direito, mas foi justamente ela que foi atacada pelos que agora promovem um texto paralelo que, para efeitos legais, vale menos que papel higiênico”, diz.

    O presidente ainda afirma que a assinatura das pessoas que apoiam os regimes instaurados nos países mencionados “tem a mesma relevância que uma carta contra as drogas assinada pelo Zé Pequeno, ou um manifesto em defesa das mulheres assinado pelo Maníaco do Parque”.

    Debate

    As emissoras CNN e SBT, o jornal O Estado de S. Paulo, a revista Veja, o portal Terra e a rádio NovaBrasilFM formaram um pool para realizar o debate entre os candidatos à Presidência da República, que acontecerá no dia 24 de setembro.

    O debate será transmitido ao vivo pela CNN na TV e por nossas plataformas digitais.