Bolsonaro: Se tivermos voto eletrônico em 2022, acontecerá o mesmo que nos EUA

Presidente Jair Bolsonaro voltou a se manifestar sobre a invasão do Congresso nos Estados Unidos

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Apesar da Secretaria de Comunicação Social (Secom) informar que o Palácio do Planalto não vai comentar a invasão do Congresso dos Estados Unidos por apoiadores de Donald Trump, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a se manifestar sobre o assunto nesta quinta-feira (7).

Em conversa com apoiadores em Brasília, Bolsonaro repetiu o argumento do presidente Donald Trump que, sem provas, aponta fraude processo eleitoral dos Estados Unidos. Bolsonaro disse que, se o Brasil mantiver o sistema eleitoral eletrônico, o mesmo acontecerá com as eleições do país em 2022.

Leia também:

Após confirmação do Congresso, Trump diz que fará transição organizada a Biden
Parlamentares e ministros começam a discutir possível remoção de Trump
Ataque para impedir confirmação de eleição é inédita em 220 anos do Capitólio

“Olha só pessoal, tem que analisar o que aconteceu nas eleições americanas agora. Basicamente, qual foi o problema, a causa dessa crise toda? Falta de confiança no voto. Então lá, o pessoal votou e potencializaram os votos pelo correio por causa da tal da pandemia e houve gente lá que votou três, quatro vezes. Foi uma festa lá, ninguém pode negar isso aí. Então a falta dessa confiança levou ao que aconteceu lá e aqui no Brasil se tivermos o voto eletrônico em 2022 vai ser a mesma coisa”, afirmou o presidente.

Em nota, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rebateu a fala de Bolsonaro sobre supostas fraudes no sistema eleitoral nacional e cobrou a apresentação de provas. A corte afirmou que o ministro Luís Roberto Barroso, presidente do TSE, “lida com fatos e provas, que devem ser apresentadas pela via própria. Eventuais provas, se apresentadas, serão examinadas com toda seriedade pelo Tribunal.”

O presidente Jair Bolsonaro
O presidente Jair Bolsonaro
Foto: Reprodução (05.jan.2021)

(Publicado por Leonardo Lellis)

Mais Recentes da CNN