Braço direito de Alckmin deixa o PSDB após 33 anos

O ex-deputado federal Sílvio Torres decidiu se desfiliar da sigla alegando falta de identificação com o partido

Isabela Filardida CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

O ex-deputado federal Sílvio Torres, braço direito do ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin, deixa o PSDB após 33 anos. As informações são da âncora da CNN Daniela Lima.

Torres, que foi secretário de Habitação na última gestão de Alckmin em São Paulo, afirmou nesta sexta-feira (7), em nota, que sua saída ocorre pela falta de identificação com o partido.

Sílvio afirmou que não pretende ser candidato a nenhum cargo nas eleições de 2022 e que não está pensando em se filiar a outro partido político.

Além de Torres, o deputado estadual Pedro Tobias, que é igualmente próximo ao ex-governador, também decidiu deixar o PSDB.

Esse movimento pode se tornar ainda maior, e aliados de Alckmin afirmaram estar esperando as próximas movimentações do ex-governador para definirem se vão para o mesmo partido, ou se vão para partidos que trabalharão em conjunto.

Vice de Lula

Geraldo Alckmin é o principal cotado para ser vice do pré-candidato à Presidência Luís Inácio Lula da Silva (PT).

O Partido dos Trabalhadores (PT) vai fazer aniversário em fevereiro, e em março é esperada a oficialização da pré-candidatura de Lula à Presidência. Só depois virá a confirmação do vice.

Aliados de ambos os lados afirmam que Alckmin e Lula seguem animados para essa aliança.

Mais Recentes da CNN