Cabo Daciolo desiste de candidatura a presidente e diz apoiar Ciro Gomes em 2022

Sexto colocado em 2018, o ex-parlamentar criticou a operação da Polícia Federal que investiga o pedetista

O ex-deputado federal concorreu à Presidência em 2018 e agora está no antigo Partido da Mulher Brasileira
O ex-deputado federal concorreu à Presidência em 2018 e agora está no antigo Partido da Mulher Brasileira Alex Ferreira/Câmara dos Deputados

Danilo Moliternoda CNN*

em São Paulo

Ouvir notícia

O ex-deputado federal Cabo Daciolo (Brasil 35) anunciou, em vídeo publicado nesta quinta-feira (16), que desistiu de concorrer a presidente nas eleições de 2022. Além disso, afirmou que irá apoiar Ciro Gomes (PDT) no pleito.

Sexto colocado na eleição presidencial de 2018 com 1,3 milhão de votos, Daciolo relatou que irá retirar sua pré-candidatura devido a um “chamado do espírito santo”.

“O espírito santo está me tocando aqui, e eu quero dizer para você que o Cabo Daciolo não é mais pré-candidato à Presidência da República”, disse o ex-bombeiro militar.

O ex-parlamentar afirmou no vídeo — publicado em suas redes sociais — que ainda irá comunicar o partido Brasil 35 (novo nome do Partido da Mulher Brasileira) de sua decisão.

 

Antes de finalizar a gravação, Cabo Daciolo ainda declarou voto em Ciro Gomes. O ex-deputado criticou a operação da Polícia Federal deflagrada na quarta-feira (15) que investiga o pedetista.

A operação apura supostas fraudes e pagamentos de propinas a agentes políticos e servidores públicos durante o processo de licitação das obras da Arena Castelão, em Fortaleza, entre os anos de 2010 e 2013.

“Mediante tudo que eu falei aqui para todos, eu quero falar com o Ciro. Ciro Gomes, irmãozão, no dia da eleição, em 2022, na contagem dos votos, se você tiver um voto lá, saiba que esse voto foi do Cabo Daciolo”, disse o ex-deputado.

No vídeo, Daciolo deixou as “portas” abertas para outras possibilidades nas eleições de 2022. “Eu não sei se eu vou ser candidato ao Senado, eu não sei se eu vou ser candidato ao governo [do Rio]. Eu não sei o que vai acontecer, talvez eu não seja candidato a nada”, declarou.

 

* Supervisão de Giulia Alecrim

Mais Recentes da CNN