Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Cabo, soldado e coronel estão presos e o STF, aberto, ironiza Moraes sobre fala de Eduardo Bolsonaro

    Presidente do TSE afirma que populismo digital extremista atua para minar os “pilares da democracia”

    “Como não foi um cabo e um soldado, foram milhares de pessoas que destruíram o prédio do STF. Foram para o confronto”, afirmou Moraes
    “Como não foi um cabo e um soldado, foram milhares de pessoas que destruíram o prédio do STF. Foram para o confronto”, afirmou Moraes 22/05/2024 - Alejandro Zambrana/Secom/TSE

    Da CNN

    Brasília

    O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Alexandre de Moraes, ironizou, nesta quarta-feira (22), uma fala do deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP), de 2018, de que bastariam “um cabo e um soldado” para fechar o Supremo Tribunal Federal (STF).

    “Todos se recordam que bastava um cabo e um soldado para fechar o STF”, disse Moraes. “O cabo, soldado, coronel estão todos presos, e o STF está aberto e funcionando”.

    “Como não foi um cabo e um soldado, foram milhares de pessoas que destruíram o prédio do STF. Foram para o confronto”, afirmou, em referência aos atos de 8 de janeiro.

    A declaração do ministro foi feita durante encerramento de um seminário internacional sobre inteligência artificial, democracia e eleições, no TSE.

    O magistrado discursou sobre o movimento que ele chama de “novo populismo digital extremista”, que tem atuado no mundo para minar os “pilares da democracia ocidental”, como a imprensa livre, as eleições e o Poder Judiciário.

    Segundo Moraes, o populismo digital extremista baseia sua força nas redes sociais, e não adota o “golpe à moda antiga”, com “tanque na rua” e fechamento de instituições como o Congresso.