Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Campanha de Lira pelo país começa com comitiva de dissidentes de bloco de Baleia

    Deputado do PP é um dos candidatos à presidência da Câmara; eleição ocorre em fevereiro

    Deputado Arthur Lira, do PP, em discurso na Câmara
    Deputado Arthur Lira, do PP, em discurso na Câmara Foto: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados (26.mai.2020)

    Bárbara Baião, da CNN, de Brasília

    Ouvir notícia

    Em campanha pela presidência da Câmara, o deputado Arthur Lira, do PP, deu início ao giro de viagens pelo país acompanhado de parlamentares que integram o bloco embarcado no nome do emedebista Baleia Rossi na disputa.

    A comitiva, que está no Amapá, inclui os deputados federais Celso Sabino, do PSDB e Elmar Nascimento, do DEM. O grupo também tem agendada uma reunião com o governador do Pará, Helder Barbalho, do MDB, nesta terça-feira (5).

    Leia também:
    Campanha de Lira avalia apoiar nomes avulsos para cargos da mesa diretora
    Gleisi Hoffmann: retrocessos vão aumentar se governo tiver peso na Câmara
    Impeachment de Bolsonaro fica de fora de negociação de Baleia com a oposição

    A presença dos parlamentares tem como pano de fundo consolidar a estratégia do líder do PP em buscar votos “a varejo”, diante da possibilidade de o maior bloco partidário da Câmara ficar ao lado do nome de Rossi na disputa, que recebeu na segunda (4) o apoio das bancadas do PT, PSB, PDT, PCdoB e Rede.

    Por contar com o respaldo da máquina do governo federal, Lira tem buscado atender à demanda de parlamenteares pela liberação de recursos para as bases eleitorais. As dissidências dentro de siglas como PSB e PSL, inclusive, tem feito com que a campanha do líder do PP avalie estimular candidaturas avulsas para vagas na Mesa Diretora da Casa.

    Com a composição atual, pelo regimento, o grupo de Baleia teria direito a fazer as duas primeiras escolhas na composição. E, nos cálculos de aliados de Lira, uma vez consolidado qual partido ficará com determinada posição, a ofensiva pretende buscar um nome dentro da legenda que, embora integre bloco que prega maior independência ao Palácio do Planalto, tenha preferência pelo líder do PP e possa se lançar na disputa.

    Mais Recentes da CNN