Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Eleições 2022

    Candidatos aos governos de Pernambuco e Ceará são os que mais gastam com anúncios do Google

    Em meio a disputas acirradas, candidatos nordestinos superam investimentos de postulantes em estados mais ricos

    Danilo MoliternoMarcello Sapioda CNN

    em São Paulo

    As eleições de 2022 mantêm uma tendência iniciada em 2018, e parte dos investimentos das campanhas é voltada aos meios digitais. Entre as disputas estaduais, os candidatos aos governos de Pernambuco e de Ceará são os que mais gastam com anúncios do Google entre todas as unidades federativas.

    Levantamento da CNN analisou os gastos de candidatos a governos estaduais com propaganda veiculadas via Google Ads até o dia 20 de setembro. Os valores são divulgados pelo mecanismo de transparência da plataforma.

    O estado de Pernambuco teve ao todo cinco candidatos que já direcionaram mais de R$ 100 mil a anúncios na plataforma. Somados, os valores investidos pelos postulantes ultrapassam R$ 2 milhões.

    O Ceará, por sua vez, conta com três candidatos que ultrapassam R$ 100 mil. Os valores somados resultam em R$ 1,5 milhão.

    São Paulo e Rio de Janeiro, estados mais ricos do país, aparecem na sequência. O primeiro tem quatro candidatos que ultrapassaram R$ 100 mil, em uma despesa total de R$ 1 milhão; o segundo, três, com R$ 837 mil.

    A CNN mostra a situação detalhada dos estados que lideram em gastos e outros destaques do ranking divulgado pelo mecanismo de transparência do Google Ads.

    Pernambuco e Ceará à frente

    Segundo o agregador de pesquisas CNN/Locomotiva, a candidata que lidera as intenções de voto em Pernambuco é Marília Arraes (Solidariedade), com 33%. Raquel Lyra (PSDB), Anderson Ferreira (PL), Danilo Cabral (PSB) e Miguel Coelho (União Brasil) empatam em segundo lugar, com 11%.

    Os cinco candidatos investiram, juntos, mais de R$ 2 milhões em publicidade no Google. Anderson Ferreira e Raquel Lyra, que direcionaram R$ 638 mil e R$ 699 mil, respectivamente, foram os que mais gastaram

    Outro ponto que os une é o tempo de televisão e rádio enxuto: ambos tem apenas 49 segundos — o menor entre os cinco que mais gastam.

    Danilo Cabral é o que menos investiu, com R$ 197 mil. Por outro lado, o candidato do PSB possui o maior tempo de TV e rádio: 4 minutos e 22 segundos. Miguel Coelho aplicou R$ 318 mil e tem 2 minutos e 13 segundos no horário eleitoral gratuito.

    Marília Arraes, candidata que lidera, investiu R$ 227 mil e tem 1 minuto e 9 segundos de TV e rádio.

    Gastos dos candidatos ao governo de Pernambuco:

    • Anderson Ferreira – R$ 638 mil
    • Raquel Lyra – R$ 699 mil
    • Miguel Coelho – R$ 318 mil
    • Marília Arraes – R$ 227 mil
    • Danilo Cabral – R$ 197 mil
    • Total: R$ 2,079 milhões

    O Ceará tem três candidatos ao governo que chegam aos seis dígitos em gastos: Roberto Cláudio (PDT), Elmano de Freitas (PT) e Capitão Wagner (União Brasil).

    Na corrida eleitoral, segundo a pesquisa TV Verdes Mares/Ipec divulgada nesta quinta-feira (22), Elmano está na frente, com 30%; seguido por Capitão Wagner, que tem 29%; e Cláudio, com 22%. O levantamento ouviu 1.200 pessoas em entrevistas presenciais entre 19 e 21 de setembro. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos, e o nível de confiança é de 95%.

    Roberto Cláudio é o candidato a governo estadual que mais gastou, se considerado todo o território nacional: R$ 793 mil. Em busca de uma vaga no segundo turno, ele ainda possui 2 minutos e 32 segundos de tempo de TV e rádio.

    Elmano de Freitas também ultrapassou meio milhão em gastos (R$ 569 mil). Além disso, ele conta com 3 minutos e 37 segundos do horário eleitoral.

    As despesas do Capitão Wagner são inferiores às dos concorrentes: R$ 193 mil. Por outro lado, ele é o que mais tem tempo de TV e rádio, com 3 minutos e 50 segundos.

    Gastos dos candidatos ao governo do Ceará:

    • Roberto Cláudio – R$ 793 mil
    • Elmano de Freitas – R$ 569 mil
    • Capitão Wagner – R$ 193 mil
    • Total: R$ 1,555 milhão

    São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais

    Os candidatos ao governo de São Paulo — estado mais rico do país — aparecem na sequência do ranking. Os quatro que ultrapassaram R$ 100 mil são: Rodrigo Garcia (PSDB), Tarcísio de Freitas (Republicanos), Fernando Haddad (PT), e Elvis Cezar (PDT).

    Gastos dos candidatos ao governo de São Paulo:

    • Rodrigo Garcia – R$ 480 mil
    • Tarcísio de Freitas – R$ 199 mil
    • Fernando Haddad – R$ 197 mil
    • Elvis Cezar – R$ 195 mil
    • Total – R$ 1,071 milhão

    De acordo com o agregador de pesquisas CNN/Locomotiva, Haddad lidera as intenções de voto, com 34%; na sequência aparecem Tarcísio (22%) e Garcia (18%).

    Candidato à reeleição, Rodrigo Garcia tem a maior coligação entre os candidatos e lidera com larga vantagem os gastos com publicidade do Google. Atrás dos candidatos de Lula e Bolsonaro nas pesquisas, o governador investe em anúncios para se apresentar aos paulistas e tentar chegar ao segundo turno.

    Segundo estado mais rico do país, o Rio de Janeiro é o quarto estado que concentra mais gastos. Os candidatos que alcançam a centena de milhar são: Marcelo Freixo (PSB), Cláudio Castro (PL) e Rodrigo Neves (PDT).

    Gastos dos candidatos ao governo do Rio de Janeiro:

    • Marcelo Freixo – R$ 301 mil
    • Claudio Castro – R$ 297 mil
    • Rodrigo Neves – R$ 239 mil
    • Total – R$ 837 mil

    Segundo o agregador de pesquisas CNN/Locomotiva, Castro lidera as intenções de voto, com 37%; Freixo tem 27%, e Neves, 6%.

    O governador e candidato à reeleição é o dono da maior coligação e lidera o tempo de TV. Freixo, que está, por pouco, à frente nos gastos com o Google, volta recursos ao terreno digital a fim de se viabilizar e encurtar a distância Castro.

    Os investimentos em outros estados

    Há ainda estados em que um único candidato ultrapassa os R$ 100 mil e se destaca em relação aos demais. São os casos de Romeu Zema (Novo), em Minas Gerais; Jorginho Mello (PL), em Santa Catarina; e Eduardo Riedel (MDB), em Mato Grosso do Sul.

    Dentre os quatro, o único que não lidera as intenções de voto em seu estado é Eduardo Riedel. É o que indica pesquisa TV Morena/Ipec divulgada no último dia 15.

    Segundo o levantamento, André Puccinelli (MDB) está à frente, com 25%. Na sequência aparecem Marquinhos Trad (PSD, 17%), Rose Modesto (União Brasil, 14%) e Eduardo Riedel (PSDB, 12%). A pesquisa ouviu 800 pessoas entre os dias 12 e 14 de setembro. A margem de erro é de três pontos para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%.

    No Paraná, a disputa se destaca pela polarização entre dois candidatos — ao menos no quesito despesas com o Google. São eles: Ratinho Júnior (PSD) e Roberto Requião (PT).

    De acordo com pesquisa RPC/Ipec divulgada no último dia 16, Ratinho tem 55% das intenções de voto, enquanto Requião, 28%. Já na plataforma, o atual governador soma R$ 173 mil de investimentos contra R$ 158 mil do petista.

    Apenas o 18º colégio eleitoral do país, Alagoas também tem dois candidatos que direcionaram valores superiores a R$ 100 mil: Paulo Dantas (MDB) e Rodrigo Cunha (União Brasil).

    O cenário eleitoral mostra três candidatos disputando vagas para o segundo turno. De acordo com a pesquisa TV Gazeta/Ipec divulgada na última segunda-feira (19), Dantas lidera com 30%, enquanto Rodrigo empata com o senador Fernando Collor (PTB), em 20%.

    Paulo Cunha investiu R$ 117 mil, e Rodrigo, R$ 109 mil.

    Debate

    As emissoras CNN e SBT, o jornal O Estado de S. Paulo, a revista Veja, o portal Terra e a rádio NovaBrasilFM formaram um pool para realizar o debate entre os candidatos à Presidência da República, que acontecerá no dia 24 de setembro.

    O debate será transmitido ao vivo pela CNN na TV e por nossas plataformas digitais.

    Fotos — Todas as mulheres que se candidataram à Presidência da República