Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ciro critica PEC dos Benefícios e classifica proposta como “fraude eleitoral”

    Apesar de o presidenciável se manifestar de forma contrária à PEC, senadores do PDT ajudaram a aprovar a proposta

    O pré-candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, durante live em seu canal no YouTube
    O pré-candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, durante live em seu canal no YouTube Reprodução

    Daniel Reisda CNN

    Em São Paulo

    Ouvir notícia

    O pré-candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) criticou, nesta terça-feira (5) a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) dos Benefícios durante uma live em seu canal do YouTube. O ex-ministro classificou a PEC como “a maior fraude eleitoral” e disse esperar que o Supremo Tribunal Federal (STF) considere a proposta inconstitucional.

    Segundo Ciro, a PEC representa uma “farsa gigantesca” e abre precedentes para que presidentes possam abusar do orçamento público em prol da reeleição.

    “Aberto esse precedente, qualquer presidente daqui para frente pode inventar um estado de emergência às vésperas das eleições e fazer jorrar dinheiro com um único objetivo: ganhar votos. Isso é fraude”, disse o pré-candidato do PDT.

    Apesar de o presidenciável ser crítico à PEC, os senadores do partido de Ciro que compareceram à votação ajudaram a aprovar a proposta. Acir Gurgacz (PDT-RO), Leila Barros (PDT-DF) e Weverton (PDT-MA) votaram sim para a PEC. Já Cid Gomes (PDT-CE), que, inclusive, é irmão do do ex-ministro, não compareceu à votação.

    Ciro pediu para o STF “barrar esse absurdo”, fez críticas ao Centrão e afirmou que o país possui um Legislativo “acuado”. Ele descreveu a PEC como um “engana povo” e também citou que a medida pode trazer consequências econômicas, como o aumento do dólar, da inflação e, consequentemente, da taxa de juros.

    “O que estamos assistindo é uma farsa gigantesca. Uma tentativa de manipulação absurda do sofrimento e da pobreza. É uma armadilha política armada pelo governo”, disse o pré-candidato do PDT.

    Críticas à aliança entre MDB e PT na Bahia

    O presidenciável aproveitou a live para associar o ex-ministro Geddel Vieira Lima (MDB) com o pré-candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

    “Ele [Lula] e Geddel Vieira Lima seguem ‘ligadíssimos’. O Lula não aprendeu nada e, como já ganhou, está se autorizando a fazer qualquer conchavo”, disse Ciro em sua live. Depois, reproduziu um recente vídeo no qual Geddel, ao apoiar a união do MDB com o PT na disputa pelo governo da Bahia, diz: “vocês vão ter que me engolir”.

    O emedebista cumpre pena em liberdade condicional pelos crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa no caso das malas com cerca de R$ 51 milhões encontradas em um apartamento em Salvador.

    Debate

    CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

    Mais Recentes da CNN