CNMP aprova demissão de procurador que pagou por outdoor em homenagem à Lava Jato

Diogo Castor foi punido com demissão por improbidade administrativa

Teo Curyda CNN

Em Brasília

Ouvir notícia

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) aprovou nesta segunda-feira (18), por 6 votos a 5, a demissão do procurador da República Diogo Castor, ex-integrante da Operação Lava Jato em Curitiba, que pagou por um outdoor em homenagem à força-tarefa. Ele foi punido com demissão por improbidade administrativa.

Após a aprovação, o CNMP encaminha o caso para a PGR para que o procurador-geral da República, Augusto Aras, escolha um subprocurador para ajuizar a ação judicial de demissão do procurador.

A defesa de Castor informou que ficou surpresa com a decisão e que há jurisprudência no CNMP para converter a sanção de demissão em suspensão em casos em que o investigado é primário e as condições são favoráveis.

A defesa vai esperar a sanção da Lei de Improbidade, que, na avaliação dela, exclui a possibilidade de punição do procurador, para recorrer da decisão do CNMP.

“Não há improbidade em ato desconectado da função e financiado com recurso estritamente privado”, afirmou à CNN o advogado Alexandre Vitorino Silva.

Mais Recentes da CNN