Com pedidos de impeachment, governador de SC tenta se reaproximar de Bolsonaro

Os dois estão com a relação estremecida desde a saída de Bolsonaro do PSL, em novembro, quando o governador ficou do lado do presidente nacional da legenda

 
  Foto: Júlio Cavaleiro/ SECOM

Igor Gadelhada CNN

Ouvir notícia

Alvo de ao menos seis pedidos de impeachment e rompido com sua vice, o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), busca uma reaproximação com o presidente Jair Bolsonaro. 

Os dois estão com a relação estremecida desde a saída de Bolsonaro do PSL, em novembro, quando o governador ficou do lado do presidente nacional da legenda, Luciano Bivar.

Nas últimas semanas, Moisés fez pelo menos duas investidas de reaproximação, ao receber os ministros do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves. 

Segundo apurou a CNN, o governador pediu ajuda dos ministros para se reaproximar do presidente, cujos discursos no início da pandemia do novo coronavírus foram duramente criticados por Moisés.

Outro movimento recente foi nomear Lucas Esmeraldino como novo articulador do governo catarinense em Brasília. Esmeraldino tem boa relação com ministros de Bolsonaro, como a própria Damares.

Neste sábado (4), o presidente esteve em Santa Catarina para sobrevoar as áreas atingidas pelo ciclone bomba. O governador não pode acompanhar o presidente, pois está com Covid-19.

Quem acompanhou o chefe do Palácio do Planalto foi a vice-governadora do estado, Daniela Reinerh, que integra a ala bolsonarista do PSL. Daniela está rompida politicamente com Moisés.

Mais Recentes da CNN