CPI convoca Ricardo Barros e envolvidos em suposto pedido de propina para vacina

Além do líder do governo, comissão ouvirá o empresário Luiz Paulo Dominguetti Pereira e o ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Ferreira Dias

Murillo Ferrari, da CNN, em São Paulo, e Bia Gurgel, da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

A CPI da Pandemia aprovou nesta quarta-feira (30) dezenas de requerimentos entre pedidos de informação, convocação/convite e quebra de sigilos.

Um dos destaques é convocação do deputado federal Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo na Câmara, que foi citado pelo deputado Luis Miranda (DEM-DF) em seu depoimento à CPI na sexta-feira (25) ao apresentar detalhes de supostas irregularidades na compra da vacina Covaxin.

O deputado negou envolvimento na compra da vacina indiana contra a Covid-19 e disse que estava à “disposição da CPI para prestar eventuais esclarecimentos”.

A comissão aprovou, ainda, a reconvocação de Miranda. Além de esclarecer dúvidas remanescentes da primeira oitiva, ele deve ser questionado sobre declarações recentes de que um lobista teria oferecido propina para ele não atrapalhar a compra da Covaxin.

A CPI também aprovou requerimento de convocação do empresário Luiz Paulo Dominguetti Pereira, que na terça-feira (29) afirmou ao jornal “Folha de S.Paulo” ter recebido pedido de propina de US$ 1 por dose de vacina em troca de fechar contrato com o Ministério da Saúde. 

Pereira afirmou, ainda de acordo com o jornal, que o diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Ferreira Dias, cobrou a propina em um jantar em Brasília – a CPI também ouvirá Dias na próxima semana.

Aziz e Renan – CPI da Pandemia
A CPI da Pandemia aprovou nesta quarta-feira (30) dezenas de requerimentos
Foto: Marcos Oliveira – 22.jun.2021/Agência Senado

Na noite de terça, em nota oficial, o Ministério da Saúde afirmou que a exoneração do diretor seria publicada nesta quarta no Diário Oficial da União

Previsão para próximos depoimentos

O presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM) também divulgou a previsão de oitivas para os próximos dias.

A ideia é que na quinta-feira (1º) seja ouvido um representante da farmacêutica Precisa Medicamentos, que negociou a Covaxin com o Ministério da Saúde; e na sexta-feira (2), deve ser ouvido Luiz Paulo Dominguetti Pereira.

Para a próxima semana, ele anunciou na terça-feira (6) a nova oitiva de Luis Miranda; na quarta (7), será ouvido Roberto Dias; e quinta-feira (8) seria a vez de Ricardo Barros.

Aziz afirmou que está tentando organizar para a sexta-feira (9) a diligência para realização da sessão sigilosa com Wilson Witzel, ex-governador do Rio de Janeiro.

Mais Recentes da CNN