Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CPI da Braskem vive expectativa de começar no Senado; políticos de Alagoas buscam Lula para ajuda a Maceió

    Expectativa é que haja uma reunião pela manhã para que os senadores discutam quem vai ficar na presidência e na relatoria da CPI

    Início da CPI nesta terça (12) depende do senador Otto Alencar
    Início da CPI nesta terça (12) depende do senador Otto Alencar Arquivo - Edilson Rodrigues/Agência Senado

    Luciana Amaralda CNN

    Brasília

    A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que busca investigar a empresa petroquímica Braskem vive expectativa de ser instalada a partir desta terça-feira (12) no Senado Federal. Todos os membros do colegiado foram indicados, com exceção do senador a ser escolhido pelo PDT. São 11 titulares e sete suplentes.

    Os três senadores de Alagoas estão na CPI: Renan Calheiros (MDB), Rodrigo Cunha (Podemos) e Fernando Farias (MDB).

    São esperadas disputas decorrentes de rivalidades locais, especialmente entre Calheiros e Cunha.

    A expectativa é que haja uma reunião pela manhã para que os senadores discutam quem vai ficar na presidência e na relatoria da CPI. O senador Omar Aziz (PSD-AM) é um dos cotados para assumir o comando da comissão.

    Renan Calheiros disse à CNN que a vontade dele é que a CPI seja instalada à tarde. Em princípio, isso depende do senador Otto Alencar (PSD-BA), por ser o senador mais velho do colegiado. O mais velho comanda a primeira reunião antes da oficialização do presidente do colegiado.

    Otto Alencar disse à CNN que falou rapidamente com Renan Calheiros por telefone e que deve se encontrar com ele quando chegar a Brasília. O senador também vai consultar o líder do governo, Jaques Wagner (PT-BA).

    Nesta terça, às 9h30, tem ainda uma reunião no Palácio do Planalto com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ministros do governo federal e vários políticos de Alagoas. Por exemplo, o prefeito de Maceió, João Henrique Caldas, o governador de Alagoas, Paulo Dantas, os três senadores do estado e o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL).

    O prefeito de Maceió e o governador de Alagoas têm buscado o governo federal para eventual ajuda financeira da União ou outras medidas, como suporte por meio do programa habitacional Minha Casa, Minha Vida.