CPI terá de fazer acareações, dizem Renan Calheiros e Randolfe Rodrigues

Relator da CPI, Renan Calheiros propõe contratação de agência de checagem por conta de 'mentiras que reiteradamente estão sendo ditas'

Gregory Prudenciano, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Os senadores Renan Calheiros (MDB-AL) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP), respectivamente o relator e o vice-presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, disseram nesta quarta-feira (19) que a comissão terá de realizar acareações, quando duas ou mais testemunhas são confrontadas entre si. 

Segundo Renan, já é possível ver “contradições óbvias” entre depoimentos prestados à CPI, de forma que as acareações serão necessárias para se chegar à verdade.

As falas aconteceram no intervalo do depoimento do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, cuja participação na CPI deve levar a mais de uma acareação, de acordo com Randolfe. 

“Neste caso [de Pazuello], as contradições são tantas que me parece que vamos concluir que não será suficiente somente uma acareação, talvez mais de uma”, disse o vice-presidente da CPI, exemplificando com possíveis contradições entre o que disse Pazuello e o que tem dito o Instituto Butantan a respeito do cancelamento da compra de 46 milhões de doses da Coronavac. 

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, também será ouvido como testemunha pela CPI da Pandemia. 

Relator da CPI Renan Calheiros e Randolfe Rodrigues, vice-presidente da comissão
Relator da CPI Renan Calheiros e Randolfe Rodrigues, vice-presidente da comissão, falaram sobre oitiva de Eduardo Pazuello
Foto: Reprodução/CNN Brasil (18.mai.2021)

Contratação de agência de checagem

O relator da CPI, Renan Calheiros, disse que vai propor ao presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM), a contratação de uma agência de checagem que possa auxiliar os senadores da CPI na apuração do que é dito pelos depoentes. 

Para Renan, a contração se faz necessária para “checar essas mentiras que reiteradamente estão sendo ditas na CPI”. Seria a primeira vez em que algo do tipo acontece em uma comissão. 

Questionado sobre a participação de Pazuello nesta quarta-feira, Renan disse que o ex-ministro tem tratado “com desdém” a CPI e “dissimulado sobre as nossas perguntas”; 

“É fundamental que ele [Pazuello] colabore, preste essas informações, mas ele chegou ao cúmulo de negar declarações públicas dele mesmo e do presidente da República”, argumentou o relator. 

Randolfe Rodrigues disse que o general do Exército faz “um contorcionismo enorme” e tenta “distorcer fatos”. 

O depoimento de Eduardo Pazuello acabou suspenso depois que o ex-ministro passou mal durante o intervalo da sessão, conforme contou à CNN o senador Otto Alencar (PSD-BA), que é médico e teria auxiliado Pazuello. A oitiva será retomada na manhã de quinta-feira (20). 

Mais Recentes da CNN