Crises institucionais de Bolsonaro começam a cansar o Centrão

Na avaliação dos comentaristas Caio Junqueira e Thais Arbex, grupo acaba tendo que contornar crises em vez de avançar reformas

Da CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

A crise institucional envolvendo o Planalto e os outros Poderes começa a “cansar” o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e o resto do Centrão, na avaliação dos comentaristas de política da CNN Caio Junqueira e Thais Arbex. 

Arbex afirma que fica claro ao conversar com políticos dos partidos de centro que já há uma falta de esperança em convencer o presidente em adotar um tom moderado no diálogo político. Na visão deles, o problema é que esta questão cria um desgaste na Câmara, que acaba tendo que contornar as crises institucionais ao invés de avançar na agenda de reformas econômicas. 

Um sinal de tal cansaço do Congresso foi visto nesta sexta-feira (27). Em evento da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Lira disse que não há chance de a reformulação do Bolsa Família, grande aposta política do governo, ter permissão para furar o teto de gastos. “Nós iremos cuidar do que nós nos comprometemos antes da eleição, é cuidar para não perder nunca o foco da responsabilidade fiscal junto da manutenção da democracia”, disse. 

Para Junqueira, o Centrão pode até estar cansado de Bolsonaro, mas pouco pode fazer. Na visão do analista, o presidente tem uma “fortaleza” política no seu eleitorado mais fiel, o mesmo que o blinda de um impeachment. Segundo ele, enquanto Bolsonaro tiver apoio popular,  o Congresso não verá benefícios de um desembarque. 

Exemplo dessa estratégia de Bolsonaro em apelar para sua base de apoio está nas manifestações prometidas para o dia 7 de setembro. Aliados do presidente pedem para que ele evite participar de eventos no dia para não aprofundar a crise institucional.

Veja a análise completa no vídeo.

 

(Publicado por Evandro Furoni)

Mais Recentes da CNN