Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Dallagnol poderá ser afastado da Lava Jato se STF não intervir

    Advogados do procurador estão em contato com o gabinete do ministro Celso de Mello, do STF, e esperam que, ainda nesta segunda ele trave o julgamento

    Da CNN

    Ouvir notícia

    A defesa do procurador-chefe da Lava Jato Deltan Dallagnol está em contato com o gabinete do ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), e espera que, ainda nesta segunda-feira (17), ele trave o julgamento, segundo informações da âncora da CNN Daniela Lima.

    Dallagnol pode sair da Lava Jato em decorrência de ações movidas pelos senadores Renan Calheiros (MDB-AL) e Kátia Abreu (PP-TO). O procurador recorreu ao Supremo para tentar bloquear a continuidade do processo em andamento. 

    Na terça-feira (18) o procurador será julgado pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), órgão que analisa a conduta de procuradores. Após recorrer ao Supremo para tentar travar esse julgamento, Dallagnol agora vive a expectativa dessa decisão que está nas mãos do ministro Celso de Mello.

    Assista e leia também:

    Moro defende permanência de Deltan no comando da Lava Jato antes de julgamento

    Deltan Dallagnol recusa saída honrosa da Lava Jato

    O procurador da República Deltan Dallagnol
    O procurador da República Deltan Dallagnol
    Foto: José Cruz/Agência Brasil (10.dez.2019)

    Ao que tudo indica, se o recurso não for aceito, a derrota de Dallagnol é dada como certa.

    Segundo apurações junto a integrantes do CNMP, procuradores e aliados de Dallagnol, se Celso de Mello não impedir o julgamento, a maioria dos votos será pela abertura de um processo para afastar o coordenador da Lava Jato de Curitiba do cargo.

    Neste caso, o procurador da força-tarefa não sairia imediatamente. Haveria um processo, mas o procurador-geral da República, Augusto Aras, poderá mexer na estrutura das forças-tarefas não só de Curitiba, mas de todo o país, como ele tem pregado publicamente.

    (Edição: Leonardo Lellis)

     

    Mais Recentes da CNN