Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Damares e Queiroga brincam com Mayra Pinheiro sobre apelido ‘capitã cloroquina’

    Em discurso feito em um evento do Ministério da Saúde sobre suicídio, o ministro da pasta disse que “a nossa ‘capitã saúde’ é a Mayra”

    Mayra Pinheiro, secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, quando prestou depoimento na CPI da Pandemia
    Mayra Pinheiro, secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, quando prestou depoimento na CPI da Pandemia Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado (25.mai.2021)

    Natália Andréda CNN

    Brasília

    Ouvir notícia

    O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, brincou com o apelido dado à secretária da pasta Mayra Pinheiro, que ficou conhecida como “capitã cloroquina”, e foi convocada a depor na CPI da Pandemia em 25 de maio. “A nossa ‘capitã saúde’ é a Mayra”, e bateu no ombro de Mayra, que se encolheu.

    Foi uma referência ao discurso da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves. Ela foi a primeira a fazer menção quando falava que foi Mayra Pinheiro quem liderou a discussão sobre a capacitação de profissionais do SAMU para atender pacientes em sofrimento psíquico.

    “Esse projeto que foi capitaneado pela doutora. Eita! Não falei esse termo, hein? O projeto que foi pensado pela doutora Mayra Pinheiro”, riu Damares em companhia do auditório, que estava lotado de médicos e funcionários da pasta.

    Os senadores da Comissão Parlamentar de Inquérito analisam se a secretária de Gestão do Trabalho e da Educação do Ministério da Saúde incentivou e receitou o remédio sem eficácia contra a Covid-19 para milhares de pacientes, principalmente, na região Norte do Brasil.

    Os discursos foram feitos em um evento no Ministério da Saúde sobre suicídio. Além Marcelo Queiroga e Mayra Pinheiro, também estavam presentes outros dois investigados pela CPI da Pandemia: o secretário Hélio Angotti Neto e o deputado federal Osmar Terra. Os jornalistas não puderam fazer perguntas.

    Mais Recentes da CNN