De ministros a empresários, lista de investigados pela CPI já soma 37 nomes

Nesta quarta-feira (6), mais quatro nomes foram incluídos na lista

Rachel Vargasda CNN

em Brasília

Ouvir notícia

A CPI da Pandemia se aproxima do fim com um total de 55 depoimentos, milhares de documentos requisitados, quebras de sigilo autorizadas, uma prisão efetuada, mandados de busca e apreensão cumpridos e 37 pessoas investigadas. Conforme antecipou a CNN, o relator, Renan Calheiros, atualizou, nesta quarta-feira (6), o rol de investigados. Foram incluídos Marcos Tolentino da Silva, Danilo Trento, Otávio Fakhoury, Allan Lopes dos Santos e Mauro Luiz de Britto, presidente do Conselho Federal de Medicina.

Renan decidiu investigar o presidente do Conselho Federal de Medicina, Mauro Luiz de Britto, por entender que ele foi um dos disseminadores do tratamento precoce com medicamentos sem eficácia comprovada.

No caso do blogueiro Allan dos Santos, a CPI tem indícios da participação dele na disseminação de notícias falsas sobre a Pandemia. Já a respeito de Otávio Fakhoury, a suspeita é de que ele tenha financiado canais e pessoas que espalharam fake news. Em relação a Marcos Tolentino, a comissão acredita que ele seja uma espécie de sócio oculto da Fib Bank, empresa que atuou como fiadora para garantir à Precisa Medicamentos o contrato com o Ministério da Saúde. Por fim, o sócio da Precisa Medicamentos Danilo Trento, empresa que está no centro das investigações.

A escolha dos novos nomes está relacionada a outras linhas de investigação adotadas pela Comissão Parlamentar de Inquérito, como o financiamento de fake news e o envolvimento com a Precisa Medicamentos, intermediadora da vacina Covaxin. Até o final dos trabalhos, o relator ainda pode definir novos investigados.

Também integram a lista os ministros da Saúde, Marcelo Queiroga, e da CGU, Wagner Rosário, além do ex-ministro Eduardo Pazuello.

No relatório final, a comissão deve pedir o indiciamento de aproximadamente 50 pessoas. Nesta quarta-feira, o relator explicou que ser investigado não é regra geral para ser indiciado, mas admitiu que o fato de estar na lista pode ser um forte indício de que isso ocorrerá.

Há nomes que não constam entre os investigados, mas que a CPI irá pedir a responsabilização por crimes supostamente cometidos durante a pandemia, como, por exemplo, o presidente da República, Jair Bolsonaro. Renan já antecipou que Bolsonaro, “com certeza, será indiciado”.

Conheça todos os nomes investigados pela CPI

Antônio Elcio Franco

Arthur Weintraub

Carlos Wizard

Eduardo Pazuello

Emanuel Catori

Ernesto Araújo

Fabio Wajngarten

Francisco Maximiano

Helio Angotti Neto

José Alves Filho

Luciano Dias Azevedo

Marcellus Campêlo

Marcelo Queiroga

Mayra Pinheiro

Nise Yamaguchi

Paolo Zanotto

Ricardo Barros

Ricardo Santana

Roberto Dias

Tulio Belchior

Cristiano Carvalho

Emanuela Medrades

Coronel Helcio Bruno

Coronel Marcelo Bento Pires

Luiz Domingheti

Luciano Hang

Onyx Lorenzoni

Osmar Terra

Regina Célia Oliveira

Marconny Faria

Wagner Rosário

Pedro Batista Junior

Marcos Tolentino

Danilo Trento

Otávio Fakhoury

Allan dos Santos

Mais Recentes da CNN