Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Defesa de Bolsonaro não sabia sobre operação de recompra do Rolex, diz Fábio Wajngarten à CNN

    Uma conversa entre ele e Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Bolsonaro, foi captada pela Polícia Federal; nela, Wajngarten fala em se antecipar à decisão do Tribunal de Contas da União

    Renata Agostini

    O advogado Fábio Wajngarten, que atua na defesa de Jair Bolsonaro, disse à CNN que ele e seus colegas do time jurídico do ex-presidente não sabiam da operação de recompra de um relógio Rolex nos Estados Unidos.

    Uma conversa entre ele e Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Bolsonaro, foi captada pela Polícia Federal. Nela, Wajngarten fala em se antecipar à decisão do Tribunal de Contas da União.

    A PF descobriu que um relógio da marca Rolex, um dos itens recebidos por Bolsonaro enquanto era presidente, foi vendido nos Estados Unidos. E, diante da decisão do tribunal de contas de que o ex-presidente deveria devolver os presentes, foi recomprado. A operação foi comandada por Frederick Wassef, de acordo com a PF, que viajou para recuperar a joia.

    De acordo com Wajngarten, que foi secretário de comunicação do governo Bolsonaro, ele estava dando uma orientação jurídica a Cid sobre como proceder, mas desconhecia o paradeiro das joias.

    “A defesa não sabia. Eu estava ali para orientá-los a se antecipar a uma decisão que o TCU tomaria, pegar as joias e entregar. Só isso. Eu não sabia onde elas estavam”, afirmou à CNN.

    Questionado o motivo de não ter perguntado o paradeiro das joias, Wajngarten afirmou que não cabia a ele essa pergunta naquele momento.