Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Dino deve entregar nesta terça-feira (31) plano de atuação federal no Rio

    Justiça e Defesa se encontram para alinhar projeto antes de proposta ser apresentada para o presidente Lula

    Flávio Dino: ministro deve entregar plano de atuação da Justiça e Segurança Pública no RJ
    Flávio Dino: ministro deve entregar plano de atuação da Justiça e Segurança Pública no RJ 24/07/2023REUTERS/Adriano Machado

    Mariana Albuquerqueda CNN

    Brasília

    O ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, deve se reunir nesta terça-feira (31), com o ministro da Defesa, José Múcio Monteiro, para definir um detalhamento das estratégias de atuação do governo federal para a segurança do Rio de Janeiro.

    Segundo Dino, o plano é apresentar ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) o entendimento dos ministérios sobre o assunto, ainda nesta terça, logo após a reunião.

    Durante entrevista coletiva concedida pelo chefe da pasta em Brasília, ele voltou a reforçar a ação da Polícia Federal e das Forças Armadas em fronteiras, portos e aeroportos, e destacou que falta detalhar como cada órgão poderá atuar.

    “Amanhã, nós vamos apresentar o detalhamento da Polícia Federal e do Ministério da Justiça no geral, e o Ministério da Defesa vai apresentar a posição do Exército, da Marinha e da Aeronáutica. Vamos compatibilizar isso e em seguida apresentar ao presidente da República”, afirmou.

    Dino também destacou que a ação que está sendo planejada no Rio pode se expandir para o restante da região Sudeste. Ele anunciou que, no dia 10 de novembro, promoverá uma reunião com os estados da Amazônia Legal para debater alternativas de combate ao crime organizado.

    “Estamos indo por etapas. Como a situação mais emergencial hoje, é esta, do Rio de Janeiro, nós priorizamos Rio de Janeiro e Sudeste. A Amazônia, que é outro tema relativo à fronteira e também a espaço aéreo, vai haver essa reunião que nós vamos também apresentar um plano específico para a Amazônia. A gente está indo por recorte regional porque tem singularidades”, detalhou.

    O ministro reforçou que a função do governo federal é coordenar as ações dos estados. “Nosso papel é atuar em coordenação, inteligência, investigações de competência federal e apoiar os Estados”, concluiu.

    Veja também: Governo não deve criar nova pasta com Flávio Dino na Justiça, dizem fontes