Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Em Brasília, Lula se encontra com representantes do Legislativo e Judiciário

    Desde o resultado das eleições, no último dia 30, é a primeira vez que presidente eleito viaja à capital federal

    Renata Souzada CNN

    em São Paulo

    O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) dedicou sua agenda desta quarta-feira (9) para se reunir com representantes dos Poderes Legislativo e Judiciário, em Brasília.

    Desde o resultado das eleições, no último dia 30, é a primeira vez que Lula viaja à capital federal.

    O “giro” pelos Poderes incluiu conversas com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL); presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) e ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

    Na primeira reunião do dia, o petista esteve com Arthur Lira, para discutir a tramitação da chamada “PEC da Transição”, que pretende criar crédito extraordinário para a implementação de promessas de campanha. A sucessão na Mesa Diretora da Câmara também foi pauta. Lira busca se reeleger ao comando da Casa.

    A conversa foi considerada “superpositiva” pelo líder do PT na Câmara, Reginaldo Lopes — que acompanhou a conversa na residência oficial do deputado.

    “Ambos demonstraram espírito colaborativo. Presidente Lula disse que quer enfrentar a fome, reconstruir o Brasil, voltar o país a normalidade. Lira se colocou à disposição para ajudar a governabilidade do governo Lula”, relatou Lopes à CNN.

    Depois da reunião com Lira, o presidente eleito esteve com Rodrigo Pacheco no início da tarde. O senador, que se manteve neutro nas eleições, havia almoçado com Lula durante a campanha presidencial.

    Presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e sua equipe de transição se reuniram com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, nesta quarta (9)

    Presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e sua equipe de transição se reuniram com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, nesta quarta (9) / Fátima Meira/Futura Press/Estadão ConteúdoPor volta das 17h30, Lula foi ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para reunião com o ministro e presidente do TSE, Alexandre de Moraes.

    Mais tarde, o presidente eleito encontrou com a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber, e outros dez ministros da Corte. Luís Roberto Barroso não compareceu por estar no Egito para a 27ª Cúpula do Clima das Nações Unidas.

    O encontro pode marcar uma nova fase no relacionamento entre Executivo e Judiciário. Isso porque o governo de Jair Bolsonaro (PL) foi marcado pela crise institucional provocada por diversas críticas do presidente às decisões do STF durante a pandemia de Covid-19, além de ataques a ministros que integram o TSE.

    Além dos ministros da Suprema Corte, estavam presentes no encontro figuras como Gleisi Hoffmann (PT), Flávio Dino (PSB-MA), Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Aloizio Mercadante.

    O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante reunião com ministros do Supremo Tribunal Federal (STF)

    O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante reunião com ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) / Reprodução/CNNA presidente do Partido dos Trabalhadores (PT) avaliou os encontros como uma retomada das relações institucionais no país.

    “[As conversas] foram muito boas. Estamos retomando as relações institucionais decentemente”, disse Gleisi.

    O senador Flávio Dino, em entrevista coletiva após a reunião, afirmou que a principal via buscada pelo novo governo federal é a aprovação de uma PEC que viabilize orçamento para as promessas de campanha.

    “O debate com o Congresso é o caminho de obtenção do que é fundamental, que é a margem fiscal para viabilizar os compromissos”, disse.

    “Harmonia entre Poderes”

    Após as reuniões, Luiz Inácio afirmou em entrevista coletiva que “é possível recuperar a harmonia entre os Poderes” e “normalidade da convivência entre as instituições”.

    “Me candidatei com o compromisso de que é possível resgatar a cidadania do povo brasileiro, recuperar a harmonia entre os Poderes e a normalidade da convivência entre as instituições brasileiras”, disse o petista.

    Lula ainda fez menção à autonomia dos Poderes. “Não cabe ao presidente da República interferir no funcionamento da Câmara e nem do Senado. Nós somos poderes autônomos. Nem eles interferem no nosso comportamento, nem nós no deles, e assim a sociedade vai viver tranquila e democraticamente”, pontuou.

    *Com informações de Caio Junqueira, Carolina Cerqueira, Gabriela Coelho, Marcello Sapio e Thais Arbex, da CNN