Em nova rodada com partidos, Bolsonaro recebe MDB no Planalto

Presidente do MDB destacou as propostas defendidas pelo partido e a defesa da discussão de propostas para pandemia

O presidente Jair Bolsonaro fala à imprensa nesta segunda-feira (20) em Brasília
O presidente Jair Bolsonaro fala à imprensa nesta segunda-feira (20) em Brasília Foto: CNN (20.abr.2020)

Iuri Pittada CNN

Ouvir notícia

O presidente Jair Bolsonaro divulgou em sua agenda oficial reunião com o presidente nacional do MDB, deputado Baleia Rossi (SP), e com o líder do partido no Senado, Eduardo Braga (AM). O encontro, mais um da rodada de conversas do governo com bancadas partidárias no Congresso Nacional, será realizado na tarde desta quarta-feira (22).  

Baleia Rossi confirmou a ida a Brasília para o encontro com Bolsonaro. Em sua rede social, o presidente do MDB destacou as propostas defendidas pelo partido e a defesa da discussão “transparente e, acima de tudo, democrática” de propostas para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus, como o auxílio emergencial a trabalhadores informais e autônomos. 

“Nós do MDB defendemos a ideia e, após uma ação do presidente da Câmara e dos líderes no Congresso, conseguimos ampliar o valor para R$500. Depois, com aval do governo, chegamos aos R$600”, afirmou o presidente do partido. “Não é hora de disputa política nem de discursos agressivos. É hora de bom senso. A Constituição nos dá instrumentos para agir. O MDB cumprirá seu papel de buscar sempre o #PontoDeEquilíbrio.” 

A estratégia do governo de conversar com os dirigentes partidários para melhorar a articulação política e, com isso, tentar esvaziar o apoio do chamado Centrão ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), foi revelada pela CNN. 

Oposição à ditadura 

Além de partido do antecessor de Bolsonaro, Michel Temer, o MDB retomou o uso do nome com o qual a sigla fez oposição durante o sistema bipartidário da ditadura militar (1964-1985). No domingo, após atos que pediam intervenção militar e a volta do principal instrumento de arbítrio, o Ato Institucional número 5 (AI-5), as redes sociais do MDB compartilharam vídeo do presidente da Assembleia Constituinte de 1988, Ulysses Guimarães, no qual o parlamentar afirmou ter “ódio e nojo da ditadura”. 

Bolsonaro discursou em um desses atos, na tarde de domingo, diante do Quartel-General do Exército, o que provocou forte reação de lideranças do Congresso, do presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli , e entidades da sociedade civil

Após a declaração do presidente na segunda-feira (20), na qual rebateu um apoiador e defendeu STF e Congresso abertos e transparentes, Baleia Rossi avaliou como positiva a atitude de Bolsonaro: “Se o domingo foi ruim, a segunda começou melhor.”

Mais Recentes da CNN