Em recesso, CPI da Pandemia retornará em agosto; Maximiano deve ser o 1º a depor

Apesar da pausa, equipes técnicas e senadores vão continuar trabalhando para organizar os próximos passos da comissão

Tainá Farfan, da CNN em Brasília

Ouvir notícia

Por causa do recesso parlamentar, que vai até o dia 31 de julho, a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Pandemia só deve voltar a fazer sessões em 3 de agosto.

Mas, mesmo com o recesso, equipes técnicas e senadores vão continuar trabalhando para organizar os próximos passos da comissão.

O recesso será possível após aprovação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) nesta quinta-feira (15).

Nas últimas semanas, a cúpula da CPI vinha se manifestando contra a paralisação dos trabalhos. No entanto, pelo regimento da Casa, a comissão não pode seguir com sessões durante o recesso no Congresso.

Quando os trabalhos forem retomados, a comissão terá mais três meses para concluir as investigações da gestão da pandemia de Covid-19 pelo governo federal.

Segundo o vice-presidente da comissão, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), o primeiro depoimento após o recesso deve ser do empresário Francisco Maximiano, diretor-presidente da Precisa Medicamentos

Maximiano é uma peça importante para os senadores avançarem nas investigações dos indícios de irregularidades em contratos de compra da vacina indiana Covaxin pelo Ministério da Saúde.

Mais Recentes da CNN