Entenda o impasse na candidatura da chamada terceira via

Nesta semana, União Brasil anunciou que deixará grupo formado com PSDB e MDB e irá lançar o deputado Luciano Bivar ao Planalto

Da CNN Brasil

Ouvir notícia

Anunciada na última quarta-feira (4), a decisão do União Brasil de deixar o grupo formado com PSDB e MDB e lançar candidatura própria para o Palácio do Planalto dificultou ainda mais as tratativas para unir a chamada terceira via para as eleições deste ano.

Os partidos que tentam quebrar a polarização entre o presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) estão desde o início do ano em busca de um nome que possa fazer frente aos dois principais candidatos. Até agora, porém, não houve consenso.

Sem Luciano Bivar, que deverá ser candidato pelo União Brasil, o grupo tem outros dois pré-candidatos: Simone Tebet (MDB) e João Doria (PSDB).

Evolução da terceira via

Em fevereiro deste ano, começaram as conversas entre o PSDB e o MDB. João Doria já havia sido vencedor das prévias dos tucanos. No MDB já circulava o nome de Simone Tebet. Ali começava a nascer a possibilidade de uma terceira via, que ganhou uma forma definitiva em 1º de abril, com o fim da janela partidária –o fim do prazo para que políticos mudassem de partido para concorrer nas eleições.

No dia 6 de abril, os presidentes dos partidos se reuniram e garantiram que no 18 de maio sairia o candidato único da terceira via. Porém, 20 dias depois, houve nova reunião, mas ainda sem definição.

Alguns dias depois, foi realizada uma nova reunião, desta vez sem a presença do União Brasil. O que era suspeita ficou sacramentado no dia 4 de maio, quando o partido anuncia a chapa puro sangue.

Agora, portanto, a dúvida que fica é sobre o que será anunciado no dia 18 de maio, já que existem indefinições internas no PSDB e no MDB.

Debate

CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

 

Mais Recentes da CNN