Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Esquerda defende que Lula se cerque de equipe mais experiente

    Avaliação, diante de declarações polêmicas do presidente, é de que a chamada cozinha do Palácio do Planalto é formada por quadros jovens, que não contestam decisões ou posturas do petista

    Gustavo Uribe

    Com os recentes arroubos declaratórios, dirigentes de esquerda defendem que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva faça alterações em cargos de confiança no Palácio do Planalto.

    A avaliação, feita à CNN, é de que o petista se cercou, na chamada “cozinha palaciana”, que são os cargos que despacham na sede do governo, de nomes jovens do partido, que não contestam decisões ou posturas do presidente.

    A avaliação é também compartilhada por lideranças petistas, que citam nomes como os dos ex-ministros Gilberto Carvalho, Luiz Dulci e Franklin Martins, que tinham pulso mais firme com o petista nos mandatos anteriores na Presidência da República.

    Uma crítica que vem sendo feita por dirigentes de esquerda desde a campanha eleitoral é de que o petista tem dado preferência às avaliações da primeira-dama Rosângela Silva, que viveu de perto o drama do petista na cadeia.

    Nesta quinta-feira (23), o presidente comentou o plano de integrantes do PCC para realizar ataques contra autoridades. Ele afirmou que, “se for mais uma armação, Sergio Moro ficará mais desmascarado ainda”.

    Na terça-feira (21), Lula relembrou o período que passou preso, disse que xingava o ex-juiz e pensava em vingança.

    “De vez em quando ia um procurador, de sábado ou de semana, para visitar, ver se estava tudo bem. Entravam três ou quatro procuradores e perguntavam: ‘Tá tudo bem?’. Eu respondia: ‘não tá tudo bem, só vai estar bem quando eu f… esse Moro”, disse em entrevista ao portal Brasil 247.