Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Estou tranquilo sobre acertos de minhas decisões, diz Moro após decisão do STF

    Em nota, ex-juiz afirmou que foi imparcial ao julgar Lula e defendeu legado da Lava Jato

    Gregory Prudenciano, da CNN, em São Paulo

    Após ser considerado parcial pela 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) nos processos da Lava Jato que envolvem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o ex-juiz federal e ex-ministro da Justiça Sergio Moro afirmou, em nota, que todos os acusados pela operação “foram tratados nos processos e julgamentos com o devido respeito, com imparcialidade e sem qualquer animosidade”.

    O ex-juiz também disse ter “absoluta tranquilidade em relação aos acertos das minhas decisões” e afirmou que elas foram fundamentadas nos processos, “inclusive quanto aqueles que tinham como acusado o ex-presidente.” 

    Defesa da Lava Jato

    No texto, Moro saiu em defesa da Lava Jato, para ele “um marco no combate à corrupção e à lavagem de dinheiro no Brasil” e em outros países da América Latina. “O Brasil não pode retroceder e destruir o passado recente de combate à corrupção e à impunidade e pelo qual foi elogiado internacionalmente”, escreveu o ex-ministro. 

    Moro também defendeu que o foco deve estar, no presente e no futuro, em “aprimorar os mecanismos de prevenção e combate à corrupção e com isso construir um país melhor e mais justo para todos.” 

    Na nota, Moro recapitulou os trâmites dos processos envolvendo o ex-presidente e argumentou que a condenação do petista foi também confirmada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) e também pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), “que, igualmente, rejeitaram as alegações de falta de imparcialidade”. 

    Também relembrou que a prisão de Lula, ocorrida em 2018, foi ordenada pelo TRF-4, assim que o próprio plenário do STF rejeitou um habeas corpus da defesa do ex-presidente.