Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Eleições 2022

    Fatos Primeiro: dados citados por Bolsonaro se aproximam de números da pobreza na Argentina

    População argentina abaixo da linha da pobreza, segundo estudo do Indec, é de 37,3%

    Presidente da República Jair Bolsonaro sanciona o PL que dá título de Capital Nacional da Moda Infantil a Gaspar (SC)
    Presidente da República Jair Bolsonaro sanciona o PL que dá título de Capital Nacional da Moda Infantil a Gaspar (SC) Isac Nóbrega/PR

    Gabriela Ghiraldellida CNN

    O candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PL) disse, em entrevista ao podcast Colab no dia 13 de setembro, que atualmente 40% do povo argentino se encontra abaixo da linha da pobreza no governo de Alberto Fernández.

    O que Bolsonaro disse

    “Como está a economia da Argentina? 40% do povo está abaixo da linha da pobreza.”

    Pobreza na Argentina

    Dados do Instituto Nacional de Estatística e Censos (Indec) da Argentina mostram que, no segundo semestre de 2021, 37,3% dos argentinos estavam abaixo da linha da pobreza – o que representa 10,8 milhões de pessoas. Dentro desse número, 8,2% ou 2,4 milhões de pessoas são miseráveis e 29,1%, ou 8,4 milhões são pobres – mas não miseráveis.

    Ainda segundo o estudo, quanto às faixas etárias segundo condição de pobreza, pode-se destacar que mais da metade, ou 51,4%, das pessoas de 0 a 14 anos de idade, são pobres. A porcentagem do total de pobres para os grupos de 15 a 29 anos e 30 a 64 anos é de 44,2% e 32,6%, respectivamente. Na população com mais de 65 anos, 13% se encontra abaixo da linha da pobreza.

    O levantamento começou a ser feito a partir do segundo semestre de 2016, quando 30,3% estavam abaixo da linha da pobreza, período de governo do Mauricio Macri. Nessa série histórica, a maior incidência foi registrada no segundo semestre de 2020, quando 42% da população argentina se encontrava nessa situação, já no mandato de Alberto Fernández.