Fernando Molica: “Bíblia” de ministro do STF tem que ser a Constituição

No quadro Liberdade de Opinião desta quarta-feira (1º), o comentarista Fernando Molica analisa a indicação de André Mendonça para vaga de ministro do STF

Gabriel Fernedada CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

No Liberdade de Opinião desta quarta-feira (1º), Fernando Molica analisa a indicação de André Mendonça para a vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

Para o comentarista, o aspirante a ministro do Supremo deve deixar decisões religiosas de lado e seguir o que prega a Constituição.

“Ele não irá para lá tendo uma espécie de mandato a ser cumprido em nome dos evangélicos. A questão é que a ‘Bíblia’ de um ministro do Supremo Tribunal Federal tem que ser a Constituição. Essa é a única ‘Bíblia’ que deve ser respeitada. Tem que ser a Constituição Brasileira.”

Molica também afirmou que não há nada que impeça a nomeação de Mendonça.

“A Constituição é muito vaga em relação às exigências feitas a um candidato a ministro do STF. Tem que ter conhecimento jurídico, e em tese ele tem. Então não há nada que impediria a nomeação dele, a aprovação do seu nome.”

O Liberdade de Opinião teve a participação de Fernando Molica e Ricardo Baronovsky. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.

Mais Recentes da CNN