Fiel e técnico, Mendonça virou homem forte do governo Jair Bolsonaro 

O ministro, de 47 anos, teve uma miocardite, inflamação desencadeada, na maioria das vezes, por um processo viral

O Ministro da Justiça, André Mendonça 
O Ministro da Justiça, André Mendonça  Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Basília Rodriguesda CNN

Ouvir notícia

André Mendonça “não está conseguindo se desligar”, afirmam amigos próximos, entre eles ministros, que ficaram preocupados com o estado de saúde do ministro da Justiça. Esse, no entanto, não foi o motivo que o levou ao hospital, neste domingo (13), de acordo com o boletim médico. 

O ministro, de 47 anos, teve uma miocardite, inflamação desencadeada, na maioria das vezes, por um processo viral.

Mendonça tem sido fundamental nas decisões de governo, de escolha de ministro a teses para defesa de casos de interesse de Bolsonaro na justiça. Neste domingo, recebeu visita do presidente no hospital.

O ministro comprou brigas nos últimos meses por temas controversos dentro do governo.

Foi ele um dos principais apoiadores da escolha de um conservador e pastor para o Ministério da Educação; teve que se explicar ao STF sobre a produção de um dossiê contra funcionários públicos críticos do governos, associados a antifascistas; foi também Mendonça quem deu o aval técnico à cobrança do governo a supermercados contra a alta no preço do arroz — atitude criticada pelo setor liberal do Ministério da Economia. 

O Ministério da Justiça e Segurança Pública, por si só, é uma cidade de assuntos, e ainda há quem queira dividí-lo em duas pastas, até o fim do ano. 

Antes de 2020 acabar, Mendonça pode ser indicado à terceira vaga de emprego no ano.

Começou como ministro da Advocacia Geral da União, cargo que desempenhava desde o governo Michel Temer; assumiu o Ministério da Justiça, em abril deste ano, após o pedido de demissão de Sérgio Moro e até novembro pode ser indicado a vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal, no lugar do decano Celso de Mello.

Mais Recentes da CNN