Governistas da CPI querem depoimento de deputado que mira o Consórcio Nordeste

Senadores tentam trazer o presidente da CPI da Covid-19 do Rio Grande do Norte

Senador Marcos Rogério (DEM-RO), titular da CPI da Pandemia no Senado
Senador Marcos Rogério (DEM-RO), titular da CPI da Pandemia no Senado Foto: CNN Brasil (25.jun.2021)

Basília Rodriguesda CNN

em Brasília

Ouvir notícia

Governistas veem no depoimento do presidente da CPI da Covid-19 do Rio Grande do Norte, o deputado Kelps Lima, a última chance de tratar da gestão da saúde pelos Estados na comissão da Pandemia do Senado.

O principal alvo da investigação da CPI comandada por Lima são os contratos firmados por governadores pelo Consórcio Nordeste. O requerimento para ouvi-lo foi aprovado na quinta-feira (7) mas o depoimento ainda não tem data marcada.

À CNN, Lima afirmou nesta sexta-feira (8) que ontem mesmo recebeu uma notificação da CPI para compartilhar informações por escrito. “Os fatos que chegaram ao conhecimento da CPI da Covid no Rio Grande do Norte sobre o Consórcio Nordeste são gravíssimos. Envolve nove Estados da Federação e precisa ser levado ao Congresso Nacional”, disse.

Governistas tentam evitar que o pedido para ouvir o deputado caia no mesmo limbo de outros requerimentos de convocação que, mesmo aprovados, nunca saíram do papel, por falta de interesse do grupo majoritário da CPI e, a essa altura do campeonato, também por não existir mais tempo hábil.

O vice-líder governista Marcos Rogério, integrante da CPI, sustentou à CNN que o depoimento de Lima pode ocorrer no mesmo dia marcado para ouvir o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, 18 de outubro.

“Os fatos lá são graves, vão desnudar a CPI em Brasília. O ministro da Saúde já veio aqui muitas vezes, vem de novo para repetirem as mesmas perguntas?”, disse.

A suspeita da CPI do Rio Grande do Norte é de irregularidades na compra de respiradores, entre outros equipamentos médicos. Na semana passada, a comissão local convocou o secretário-executivo do Consórcio, Carlos Gabas, que optou por ficar calado. Ele é também ex-ministro da Previdência Social dos governos Lula e Dilma.

Mais Recentes da CNN