Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Governo muda versão, admite que Daniela Carneiro entregou cargo e confirma Sabino no Turismo

    Duas horas após negar mudanças no Ministério do Turismo nesta semana, o ministro Paulo Pimenta admitiu que atual chefe da pasta pediu demissão em reunião com Lula

    Teo CuryPedro Teixeirada CNN

    Brasília

    O ministro Paulo Pimenta, da Secretaria de Comunicação Social, admitiu que Daniela Carneiro (União-RJ), ministra do Turismo, colocou seu cargo à disposição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na reunião que aconteceu na tarde desta quinta-feira (6) e que ela tem conhecimento de que será substituída ao longo dos próximos dias.

    Pimenta atribuiu, em um primeiro momento, o adiamento da troca no Turismo ao aguardo da conclusão das votações de interesse do governo no Congresso Nacional. O Executivo aposta na aprovação da reforma tributária – cuja votação estava prevista para esta quinta –, do projeto que prevê mudanças no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) e do no novo regime fiscal.

    “A ministra permanece à disposição do governo, desempenhando a sua função, e permanecerá enquanto o presidente entender. Não haverá nenhuma mudança no decorrer dessa semana. Energias voltadas para as questões tratadas no Congresso Nacional”, completou Pimenta inicialmente.

    Duas horas após conversar com jornalistas no Palácio do Planalto, no entanto, o ministro mudou a versão inicial e admitiu que Daniela havia pedido demissão ao presidente Lula e que a confirmação da mudança na pasta aconteceria após reunião com lideranças do partido.

    “Não tem carta [de demissão], mas a ministra já colocou o cargo à disposição. Na realidade, é só o anúncio de quem ficará no lugar dela que ocorrerá depois que as conversas forem concluídas. Ela já comunicou o presidente e ela já tem conhecimento que será indicado outro nome para ocupar a função que hoje ela tem”, afirmou o ministro.

    A primeira versão anunciada pelo Palácio do Planalto foi mal recebida no União Brasil, que esperava a efetivação já nesta quinta-feira da troca de Daniela Carneiro pelo deputado Celso Sabino (União-PA), para quem o cargo está prometido. A avaliação foi de que a saída da ministra já estava sacramentada e que sua eventual permanência representaria uma afronta ao partido.

    Diante disso, o governo teve de divulgar uma segunda versão para contornar a insatisfação e fazer um aceno ao partido, que tem a terceira maior bancada da Câmara, com 59 deputados. Em sua fala, Pimenta deixou claro que o anúncio da troca ocorrerá depois que as conversas forem concluídas.

    Lula deve se reunir nos próximos dias com Luciano Bivar (União-PE), que presidente o partido, o deputado Elmar Nascimento (União-BA), líder do partido na Câmara, o senador Davi Alcolumbre (União-AP) e Celso Sabino.

    Logo após as duas versões divulgadas pelo governo, a assessoria do presidente do União Brasil informou, por meio de nota, que “considerando a importância para o país, bem como a complexidade” da reforma tributária, “entende que não há condições de se votar o referido projeto antes de profunda análise junto aos parlamentares e à sociedade brasileira”. A votação está prevista para acontecer nesta quinta.

    “Portanto, a bancada defende que a votação do projeto ocorra no segundo semestre, propiciando o tempo necessário para melhor estudar e discutir esse tema relevante e complexo. Nosso compromisso é com o Brasil”, diz a nota.

    O documento divulgado pela assessoria de Bivar é assinado por 38 dos 59 deputados que integram a bancada do partido na Câmara. Um dos signatários é Sabino, para quem a vaga de ministro do Turismo está prometida. A assessoria de Sabino não confirma se ele assina o documento ou não.

    Logo após a divulgação do documento pelo União Brasil, o ministro Alexandre Padilha, das Relações Institucionais, afirmou, também por meio de nota, que na reunião que confirmaria a saída de Daniela Carneiro do cargo foi possível “esclarecer as questões partidárias que motivam a troca no Ministério do Turismo, e a ministra demonstrou sua compreensão com a decisão do governo”.

    “O presidente agradeceu a ministra pelo excelente trabalho feito pela recuperação do Turismo no Brasil e pela disposição dela de permanecer contribuindo com o governo no Congresso, com o protagonismo de ser a deputada federal mais votada do Rio de Janeiro”, disse.

    Padilha finaliza a nota afirmando que Lula e ele vão se reunir com os líderes do União Brasil nos próximos dias “para receber a indicação do deputado Celso Sabino, que vai liderar a pasta do Turismo, dando continuidade ao trabalho pela recuperação de um setor tão importante para a geração de emprego e renda no Brasil”.