’Isonomia no tratamento’, diz Mourão sobre Bolsonaro depor por escrito

Após manifestação do voto de Marco Aurélio, vice-presidente disse que aguardará decisão do plenário do STF

Mourão durante coletiva em Rio Branco, no Acre
Mourão durante coletiva em Rio Branco, no Acre Foto: Bruno Batista/VPR (23.set.2020)

Caroline Rosito, da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta quinta-feira (24) que, na opinião dele, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) “pode optar por fazer o depoimento por escrito”.

Mourão foi questionado pela CNN sobre o voto do ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal (STF), para que Bolsonaro preste esclarecimentos por escrito no inquérito que apura suposta interferência na Polícia Federal.

Leia também:
Voto de Marco Aurélio sobre depoimento por escrito deve ser seguido pela maioria
O Grande Debate: Bolsonaro deveria prestar depoimento presencial?

“O ministro Marco Aurélio já explicitou o voto dele, então vamos aguardar a decisão do STF. Mas na minha visão, eu julgo que o presidente pode optar por fazer o depoimento dele por escrito”, afirmou o vice.

Mourão também disse que a decisão é uma questão de isonomia no tratamento – comparando ao caso do então presidente Michel Temer que, em 2017, após decisão do STF, depôs por escrito no inquérito dos portos.

“É uma questão da forma que está sendo tratado. Vamos lembrar que no caso do presidente Temer, o presidente Temer era testemunha, sei lá! Já nem me lembro mais o que ele era, mas depôs por escrito. Então é o mesmo tratamento. Isonomia no tratamento. Acho que é isso que tem que ser colocado”, defendeu Mourão.

Mais Recentes da CNN