Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Joias sauditas: PF deve indiciar pai de Mauro Cid, além de Bolsonaro, dizem fontes

    Investigação apura possibilidade de general ter utilizado escritório da Apex em Miami para vender objetos

    Essa é a primeira vez que militar aparece como suspeito nas investigações
    Essa é a primeira vez que militar aparece como suspeito nas investigações Divulgação/Alesp

    Gabriela Pradoda CNN Brasília

    Fontes da Polícia Federal (PF) afirmam que o relatório final da investigação das joias deve apontar o indiciamento do general da reserva do Exército, Mauro Lourena Cid, no caso das joias sauditas. O militar é pai do ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro (PL), Mauro César Cid.

    Essa é a primeira vez que o militar aparece nas investigações como suspeito.

    Em abril deste ano, a PF começou a apurar a possibilidade do general ter utilizado o escritório da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) em Miami para vender as joias pertencentes à Presidência da República. Lourena Cid chefiou o escritório da Apex em Miami durante o governo Bolsonaro.

    Mauro Cid filho e Jair Bolsonaro também estão na lista dos que devem ser indiciados no caso das joas.

    Os dois últimos já foram indiciados no caso da suspeita de falsificação do cartão de vacina de Covid. A investigação deve ser finalizada nos próximos dias.

    A lista de apontados pela PF deve ultrapassar quatro nomes, segundo fontes ligadas à apuração.

    A CNN procurou o general da reserva do Exército Mauro Lourena Cid sobre a investigação da PF e aguarda resposta.