Julgamento do STF sobre Moro foi injusto, parcial e ilegal, diz Kim Kataguiri

'Os fatos não mudam, havendo ou não nulidade. Fato é que o ex-presidente recebeu um apartamento para beneficiar um cartel de empreiteiras', disse o deputado

Produzido por Rudá Moreira, da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

O deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP), coordenador nacional do Movimento Brasil Livre (MBL), criticou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que declarou o ex-juiz Sergio Moro como parcial em condenação contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). 

Em entrevista à CNN, o deputado classificou o julgamento da Segunda Turma do STF como “injusto, imparcial e ilegal”.

“Na minha avaliação o STF age de maneira parcial no momento que reconhece habeas corpus do ex-presidente. Para qualquer condenado comum esse pedido não seria nem reconhecido. Além disso, não se discute suspeição de juiz dentro de um habeas corpus, que não é um dispositivo para isso. Por isso o julgamento foi injusto, parcial e ilegal,” disse Kataguiri.

“Apesar disso, os fatos não mudam, havendo ou não nulidade. Fato é que o ex-presidente recebeu um apartamento para beneficiar um cartel de empreiteiras.”

Supremo Tribunal Federal (STF)
Sede do Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília
Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Mais Recentes da CNN