Justiça notifica Cury por acusação de importunação sexual na Alesp após 9 meses

Deputado é acusado de tocar no seio de Isa Penna no dia 17 de dezembro; notificação foi entregue na última sexta (15)

Evandro Furonida CNN*

em São Paulo

Ouvir notícia

O Tribunal de Justiça de São Paulo notificou apenas na última sexta-feira (15) o deputado Fernando Cury (Cidadania) sobre a acusação de importunação sexual contra a também deputada Isa Penna (PSOL) na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). A notificação judicial ocorre nove meses depois do incidente. Cury foi denunciado por importunação sexual em março deste ano.

No dia 17 de dezembro de 2020, um vídeo mostra o deputado abraçando Penna. As imagens mostram ele tocando na lateral do seio de Penna. Em entrevista à CNN no dia do incidente, a deputada disse que o assédio é uma constante nos espaços políticos de poder”.

“Eu me sinto absolutamente exposta, eu me sinto absolutamente violada em diversos sentidos. Seja pelas minhas prerrogativas enquanto mulher eleita, pela prerrogativa das minhas funções, exercendo meu trabalho, exercendo meu papel ali, discutindo o orçamento. Eu me sinto enojada”, afirmou a deputada.

Além da denúncia criminal, Cury foi suspenso por 119 dias pelo Conselho de Ética da Alesp. A pena depois foi aumentada para 180 dias pelo colégio de líderes a Assembleia. Ele voltou aos trabalhos em seu gabinete no último dia 5 de outubro.

Em entrevista à CNN, Cury reconheceu que seu ato foi inadequado, mas negou o assédio: “Eu reconheço que foi um ato inoportuno, um ato inapropriado, um gesto inadequado, mas não houve em nenhum momento, da minha parte, qualquer intenção de contato sexual”, afirmou Cury.

A CNN procurou Cury para comentar a notificação, mas ainda não obteve retorno.

 

Com informações de Marcos Guedes e Tainá Falcão, da CNN

Mais Recentes da CNN