Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Líder do União Brasil diz não haver expectativa de prazo para troca no Turismo

    Partido pressiona pela demissão de Daniela Carneiro da pasta após ela pedir desfiliação da legenda

    O deputado Elmar Nascimento (DEM-BA) deve ser relator da PEC
    O deputado Elmar Nascimento (DEM-BA) deve ser relator da PEC Foto: Wilson Dias - 27.mar.2018/Agência Brasil

    Luciana Amaralda CNN

    em Brasília

    O líder do União Brasil na Câmara dos Deputados, Elmar Nascimento (BA), afirmou, na noite de terça-feira (13), não haver expectativa de prazo para a troca de Daniela Carneiro à frente do Ministério do Turismo por um nome indicado pela bancada de deputados federais da sigla, como Celso Sabino (União Brasil-PA).

    O União Brasil pressiona pela demissão de Daniela da pasta. As articulações para a saída dela se intensificaram nas últimas semanas.

    Daniela pediu autorização à Justiça Eleitoral para se desfiliar da legenda e não tem o apoio da maioria dos deputados federais da sigla.

    Já o Planalto avalia que o União, que conta também com outros dois ministros indicados por filiados, não tem entregado votos suficientes no Congresso Nacional em matérias de interesse do governo.

    “Quem tem legitimidade para escolher ministro, nomear ministro, demitir ministro, é o presidente Lula. Quando e se ele achar que deve, ele vai nos chamar. Há, entre nós e o governo, uma concordância de que a forma como foi concluído no início do mandato, não foi a mais adequada. Porque não houve a legitimação da bancada, e se quer fazer a coisa de forma diferente agora. O governo compreende dessa forma, nós compreendemos dessa forma”, declarou Elmar.

    “Agora o tempo é o tempo do governo. Dentro da bancada, nunca houve a expectativa com prazo”, acrescentou.

    As falas à imprensa aconteceram após reunião da bancada de deputados federais do União.

    Em determinado momento, aos jornalistas, o líder disse que “o timing é do presidente Lula” e que “nós não vamos botar faca no pescoço de ninguém e nós não vamos exigir nada de ninguém”.

    Elmar ainda disse que, se o partido for chamado a discutir a eventual troca ministerial pelo governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vai querer saber quais as “condições” que o titular da pasta terá. A sinalização é que devem pleitear uma maior estrutura no ministério.

    “Essa iniciativa tem que ser do governo. Quando e se o governo nos chamar a indicar, deliberar, nós vamos dizer e querer saber quais são as condições em que o ministro indicado pela bancada assumirá o ministério para ter condições de aplicar políticas públicas, de ter capilaridade para atender os deputados não só do nosso partido, para poder se sustentar, mas atender o Congresso como um todo e fortalecer esse ministério. Isso quando e se formos chamados. Até agora não fomos.”

    O líder na Câmara afirmou que, se houver uma reforma ministerial mais ampla, “vamos tratar de tudo”. Isso pode se refletir em reivindicação para maior capacidade orçamentária e estrutural a quem assumir a pasta do Turismo.

    Segundo Elmar, de toda forma, “primeiro tem que resolver entre ele [Lula] e ela [Daniela], se eles vão tirá-la ou não.”

    Na terça, Daniela Carneiro se reuniu com Lula, que decidiu pela manutenção dela no cargo, ao menos por enquanto. Na Câmara, onde participou de audiência sobre turismo no Brasil e prioridades da pasta, a ministra disse que a permanência dela à frente da pasta “está à disposição do presidente Lula”.