Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Lira sinaliza à oposição que pode prorrogar CPI do MST

    Expectativa era de que os trabalhos fossem encerrados nesta semana com a leitura do parecer do deputado Ricardo Salles, relator da comissão

    Além da CPI do MST, Lira também deve se reunir com os presidente e relatores de outras três CPIs
    Além da CPI do MST, Lira também deve se reunir com os presidente e relatores de outras três CPIs REUTERS/Carla Carniel

    Caroline Rositoda CNN

    Brasília

    Após ouvir apelos da oposição, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP), sinalizou em reunião nesta terça-feira (12) que pode prorrogar os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

    Após encontro com Lira na residência oficial da Câmara, o presidente da CPI, deputado Tenente-Coronel Zucco (Republicanos-RS), afirmou que o pedido será levado por Lira para a avaliação de líderes da Câmara ainda na tarde de hoje.

     

    Zucco também afirmou que a apresentação do parecer depende desta definição. “Não tenho como garantir se será por uma uma semana, por dez ou quinze dias. É uma possibilidade. O prazo ele [Arthur Lira] vai definir”, afirmou o parlamentar.

    Pelo cronograma, a comissão tem prazo para funcionar até o dia 14 de setembro. Com mais tempo, a ideia da oposição é tentar ouvir pessoas que foram convocadas para prestar esclarecimentos sobre supostas invasões e financiamentos de atos do MST, mas não tiveram as oitivas marcadas.

    O relator da CPI do MST, deputado Ricardo Salles (PL-SP), também participou da reunião com Lira. Questionado pela CNN se entregará o seu parecer nesta terça, respondeu com a cabeça que não.

    Além da CPI do MST, Lira também deve se reunir com os presidente e relatores de outras três CPIs para redefinir os prazos de funcionamento. Também estão em andamento na Casa as CPIs das Apostas Esportivas, das ONGs e das Pirâmides Financeiras.

    A base governista é contra a prorrogação. Para o deputado Nilto Tatto (PT-SP), a continuação dia trabalhos significa “dinheiro e tempo jogados fora”.

    Os deputados levarão o posicionamento do grupo a Lira durante a reunião de líderes.

     

    Veja também: Entrada do Centrão no governo desgastou a CPI do MST