Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Lula culpa partidos por redução de mulheres em seu governo

    Recentemente, deixaram a gestão Maria Rita Serrano, Ana Moser e Daniela Carneiro, tendo sido substituídas por homens indicados por legendas do Centrão

    Lula e Janja recebem jornalistas em café da manhã promovido no dia do aniversário de 78 anos dele, nesta sexta-feira (27)
    Lula e Janja recebem jornalistas em café da manhã promovido no dia do aniversário de 78 anos dele, nesta sexta-feira (27) Foto: Ricardo Stuckert

    Pedro Jordãoda CNN

    São Paulo

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) culpou partidos políticos pela diminuição das mulheres em seu governo, dizendo que, ao abrir espaço para indicações em vagas ocupadas por mulheres, foram as legendas que sugeriram nomes de homens para substitui-las.

    A declaração foi dada em encontro com jornalistas na manhã desta sexta-feira (27).

    “Lamento profundamente não poder indicar mais mulheres que homens no governo, acontece que, quando você estabelece uma aliança com um partido política, nem sempre o partido tem uma mulher para indicar, mas isso não quer dizer que eu não possa tirar homens e colocar mulheres no governo”, disse.

    “Eu ainda posso trocar muita gente, só estou com dez meses de mandato. E eu posso ter uma maioria de mulher. Apenas as circunstâncias é que o partido não tinha mulher para indicar, se bem que eu pedi para fazer um esforço para indicar mulher”, continuou.

    Na última quarta-feira (25), Lula demitiu a então presidente da Caixa Econômica Federal, Maria Rita Serrano, substituindo-a por uma indicação do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL): Carlos Fernandes.

    Recentemente, Lula também retirou de seu governo Ana Moser (que era ministra do Esporte), e a substituiu pelo deputado André Fufuca (PP-MA) — também indicado pelo partido de Lira.

    Além delas, Daniela Carneiro, que exercia o posto de ministra do Turismo, também deixou o governo após relação conturbada com o Republicanos, e foi substituída pelo deputado Celso Sabino (União-PA).

    “Eu quero passar que a mulher veio para fazer política e para ficar”, declarou. “Você pode ter certeza que ainda vai ter mulher no governo, em outros cargos, porque é uma disposição política minha de fazer isso”, disse mesmo assim, deixando em aberto a possibilidade.

    Durante encontro com jornalistas, Lula também afirmou que vai indicar nomes para o Supremo Tribunal Federal (STF) e para a Procuradoria-Geral da União (PGR) ainda neste ano.

    VÍDEO – Pesquisa: 38% avaliam governo Lula positivamente

    Aniversário e saúde

    Lula completa 78 anos de idade nesta sexta-feira (27). Esse o encontro com jornalistas foi um dos primeiros eventos presenciais que o presidente participou após realizar uma cirurgia no quadril, no final do mês de setembro.

    Ele disse que estava recuperado e se sentindo bem. “Uma recuperação que eu não acreditava que pudesse ser tão rápida”, comentou.

    Além disso, ele adiantou que deverá retomar sua agenda de viagens em breve, tanto por países do mundo quanto internamente no Brasil.

    “Minha primeira viagem será para a COP28, nos Emirados Árabes. Depois, eu passo na Alemanha, porque tem um debate entre empresários brasileiros e alemães. E, antes dos Emirados, no dia 30, estou pensando em passar na Arábia Saudita para fazer uma apresentação do parque aos empresários e investidores”, disse.

    “E, depois, quando retornar, vou começar a viajar o Brasil. O ano que vem será o ano inteiro de viagem pelo Brasil para lançamento de obras do PAC, de inauguração do Minha Casa Minha Vida, de escolas técnicas, escolas federais, lançar novas universidades neste país. Porque o Brasil não pode perder a oportunidade de fazer aquilo que é nosso compromisso, para que o Brasil se transforme definitivamente um país de primeiro mundo. Estamos cansados de ser um país de primeiro mundo”.