Lula defende Assange e diz que fundador do WikiLeaks denunciou “falcatruas” dos EUA

O petista afirmou que, se houve crime, ele teria sido cometido pelas autoridades americanas, por espionarem diversos países, como o Brasil

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva
Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva 27/05/2022REUTERS/Carla Carniel

Da CNN

Ouvir notícia

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que Julian Assange, fundador do WikiLeaks, não cometeu crimes, apenas falou a verdade. Nesta sexta-feira (17), o Reino Unido aprovou a extradição do ativista para os Estados Unidos.

Assange é intimado pelas autoridades americanas por 18 acusações, incluindo espionagem, relacionadas à divulgação, pelo WikiLeaks, de uma vasta coleção de registros militares confidenciais dos EUA e telegramas diplomáticos que, segundo elas, colocaram vidas em perigo.

Em evento do PT em Alagoas, Lula disse que Assange apenas “falou a verdade” e denunciou “falcatruas”.

“E nós que estamos aqui falando de democracia, precisaríamos perguntar que crime o [Julian] Assange cometeu. É o crime que todos vocês cometeram: falaram a verdade. Mostrar que os Estados Unidos da América do Norte através de seu departamento de investigação, através do seu Departamento de Estado, da CIA, estava grampeando muitos países do mundo e, inclusive, grampeando a presidenta Dilma Rousseff. Ele denunciou as falcatruas feitas no país mais importante do planeta.”

O petista afirmou que Assange deveria, na verdade, receber um prêmio Nobel.

“Esse cidadão deveria estar recebendo um prêmio Nobel, esse cidadão deveria estar recebendo Oscar de decência e coragem porque denunciou ao planeta um país espionando outro país. E os Estados Unidos ainda teve coragem de pedir desculpas à Angela Merkel, mas não teve coragem ou não sentiu necessidade de pedir desculpas ao Brasil.”

Lula disse ainda que o verdadeiro crime teria sido cometido pelas autoridades americanas.

“Se alguém cometeu um crime, foi quem, em nome dos Estados Unidos, estava espionando o planeta Terra, espionando outros países, inclusive, espionando a nossa Petrobras, inclusive acionando a nossa Petrobras logo após a descoberta do pré-sal.”

Debate

CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

*Publicado por Renan Porto, com informações de Laura Slobodeicov, da CNN

Mais Recentes da CNN